Com o tema, “Mais do que ser contra, #ÉPRECISODENUNCIAR” a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes), por meio da Coordenação de Políticas para Mulheres, realiza a campanha Agosto Lilás pelo fim da violência contra a mulher. O objetivo é chamar a atenção da sociedade para o enfrentamento à violência doméstica. A escolha do mês tem relação com a data de promulgação da Lei 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, que completa 16 anos no dia 7 de agosto.

Segundo a coordenadora de Políticas para Mulheres, Dayana Evelinne Andrade, o tema foi escolhido por conta dos últimos acontecimentos envolvendo violência contra mulher que marcaram o Brasil. “Não basta saber que uma mulher está em situação de violência. É preciso agir. É preciso denunciar. E uma das razões foi justamente o ocorrido no mês de julho, onde um médico que deveria cuidar, simplesmente estuprou a sua paciente. Foi de extrema importância o agir daquelas enfermeiras que desconfiaram das atitudes suspeitas do médico. A denúncia foi muito importante. E, por isso, a escolha do tema”, explicou Dayana.

A violência contra a mulher infringe os direitos humanos de metade da humanidade e se traduz em ser, qualquer ato ou conduta baseada no gênero, que cause ou seja passível de causar morte, dano ou sofrimento físico, sexual ou psicológico à mulher, tanto na esfera pública como na esfera privada.

No âmbito local, através de levantamento realizado pela Coordenação de Planejamento e Vigilância Socioassistencial sobre as violações de direito sofridas pelas mulheres por território atendidas em 2021, as localidades urbanas e rurais com maiores índices foram: Centro; Patagônia; Bateias; Brasil; Campinhos; Zabelê; Nossa Senhora Aparecida; Primavera; Bate-Pé; José Gonçalves; Inhobim; São João da Vitória; Cabeceira da Jiboia. Já no Centro de Referência Albertina Vasconcelos (CRAV) foram registrados 224 novos acolhimentos em 2021, se somamos os últimos cinco anos, a unidade realizou 1.149 novos acolhimentos de mulheres vítimas de violência doméstica. Em 2022, de janeiro a julho foram registrados 110 novos acolhimentos e 581 atendimentos.

“Por conta destes dados, é que se faz necessária a realização de campanhas permanentes para denunciar este tipo de violação que ainda persiste. Quando uma mulher é violentada, sofre a mulher e toda a sociedade. Por isso, estamos mobilizando toda a comunidade para o Agosto Lilás”, explicou o secretário de Desenvolvimento Social, Michael Farias.

Além de esclarecer as diversas formas de violência doméstica, o Agosto Lilás também fomenta debates sobre os direitos das mulheres e sobre a igualdade de gênero. O objetivo é trazer visibilidade ao tema e ampliar os conhecimentos sobre os dispositivos legais existentes e como auxiliar as mulheres em situação de violência. Para esse momento, a Coordenação de Mulheres propõe algumas ações em reconhecimento às conquistas em decorrência da Lei Maria da Penha.

Programação:
03/08 às 14h30 – Papo Ativo
Local: Norsa Refrigerantes
Endereço: Distrito Industrial dos Imborés S/N, Lotes 7 e 8.

09/08 às 14h – Ciranda com Elas!
Local: Centro de Referência da Mulher Albertina Vasconcelos.
Endereço: Avenida Jesiel Norberto nº40, bairro Candeias.

16/08 às 09h – O ciclo de silenciamento e violência contra mulheres da zona rural
Local: Centro de Convivência do Idoso
Endereço: Rua Coronel Gugé em frente ao SEBRAE
Objetivo: Debater as dificuldades enfrentadas pelas trabalhadoras rurais e compartilhar experiências vividas por pessoas que já sofreram ou presenciaram algum tipo de violência contra a mulher.

16/03 às 18h30
Sessão Especial
Local: Câmara Municipal de Vitória da Conquista

Papo Ativo com trabalhadores da EMURC
09/08 às 09h – Obra do Panorama
16/08 às 09h – Usina
23/08 às 09h – Obra do Cristo
26/08 às 09h – Obra Escola Municipal Mozart Tanajura
Obs: No decorrer do mês outras atividades serão acrescentadas.