Na tarde desta segunda-feira (13), a prefeita Sheila Lemos recebeu em seu gabinete representantes do bairro Lagoa das Flores, que vieram trazer reivindicações da comunidade em decorrêncais das fortes chuvas recentes. A reunião foi intermediada pelo vereador Chico Estrela (PTC) e Adinilson Pereira (MDB), e também contou com a participação do gestor da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana (Seinfra), Jackson Yoshiura; e do coordenador da Defesa Civil, José Antônio Vieira.

De acordo com os moradores, o bairro apresenta área alagada e cerca de 12 famílias desabrigadas por conta das chuvas. “A Seinfra já esteve no bairro Lagoa das Flores fazendo um mapeamento aéreo das áreas alagadas, e hoje pela manhã a equipe da Defesa Civil também avaliou o local. Vamos enviar uma equipe de engenharia para buscar uma solução emergencial para essas áreas alagadas, e Secretaria de Desenvolvimento Social também irá até lá dar acompanhamento e assistência às famílias necessitadas”, garantiu a prefeita.

Para Betânia Nolasco, representante dos moradores do Lagoa das Flores, o encontro trouxe esperanças de melhorias locais. “Já estamos saindo daqui um pouco mais aliviados, para passar um posicionamento para comunidade. Só de saber que a Prefeitura, através da prefeita e dos outros órgãos competentes, vai poder fazer esse mapeamento; e saber que a Semdes vai lá, fazer isso, já deixa a gente mais tranquilos, porque a nossa maior preoucpação, nesse momento, são essas famílias que estão passando por necessidade”, contou.

De acordo com o vereador Chico Estrela, a população tem o legítimo direito de fazer as suas reivindicações. “A única coisa que a população pode fazer é cobrar. A população veio aqui, ordeiramente, para fazer esse tipo de cobrança e foi muito boa a reunião”, avaliou. “Correu tudo bem, a prefeita tem essa sensibildiade, e com certeza a gente vai buscar de todas as maneiras resolver os problemas do pessoal do bairro da Lagoa das Flores”, completou o vereador.

Dificuldade – Em relação aos alagamentos no bairro, estudos técnicos da Secretaria de Infraestrutura Urbana (Seinfra) constataram que, no curso d’água existem construções que impedem o seu fluxo natural, o que provoca diversos barramentos e, ainda, por se tratar de solo rochoso, há o retardamento do processo de infiltração no solo, mantendo a água acumulada por mais tempo.

Segundo a Seinfra, outros levantamentos serão feitos para caracterização de todos os elementos que compõem o problema, cuja solução definitiva envolve macrodrenagem e desapropriações, o que exige grande aporte de volume financeiro, não comportado, no momento, pelo orçamento municipal.

Diante dessa perspectiva e considerando a importância de solucionar o problema, a Prefeitura Municipal busca participações financeira dos governos estadual e federal, essenciais para os serviços de engenharia que o bairro e a população requerem.