Adubo orgânico está sendo fornecido para todas as hortas comunitárias

Na manhã desta terça-feira (22), a horta comunitária do bairro Kadija recebeu uma caçamba de adubo orgânico que será usado na produção de cerca de 30 famílias que trabalham no local. A entrega faz parte das ações de apoio às hortas comunitárias realizadas pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Semdes), por meio da Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional (Cosan).

Além da horta do Kadija, o adubo está sendo fornecido às hortas do Jardim Valéria, Recanto das Águas e Vila América. “Nós iniciamos a entrega de adubo nas hortas, no final do mês de janeiro, pois, sabemos a dificuldade encontrada pelos agricultores para compra deste insumo durante o período de chuva, quando o produto fica escasso no mercado”, explicou a coordenadora da Cosan, Karine Barros.

Produtores comemoraram a chegada do adubo

Para José Soares, de 82 anos, que há 22 anos trabalha na horta do Kadija, a ajuda do Governo Municipal é muito bem-vinda. “Isso aqui é a vitamina das plantas, sem isso aqui não vai, tem que ter adubo, toda vez que arranca as plantas tem que colocar adubo novo. Está difícil de encontrar e o preço está alto por conta da chuva”, contou José Soares.

Eliane Chagas também agradeceu o incentivo da Prefeitura. “Essa é uma parceria boa, já que estamos usando área da Prefeitura. Agora é que temos estes incentivos, porque antes não tinha, a gente mesmo se virava com o nosso adubo, nossa semente. A gente precisa dessa ajuda aqui, porque já está R$ 900 reais uma caçamba de adubo aí na rua”, comentou Eliane.

O adubo é a garantia de boa colheita que será aproveitada por clientes como Andreia de Jesus Santos, que compra na horta há 15 anos. “Aqui, os produtos são todos naturais, de qualidade, e as meninas também nos atendem com muita alegria. Venho aqui uma vez por semana”, disse Andréia.

Além do fornecimento do adubo orgânico, a Semdes estabeleceu parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SMDR) para atendimento técnico em todas as hortas comunitárias, com a visita de engenheiro agrônomo uma vez por mês a cada uma.