‘Essa escolha de pessoas que fazem uma arte de qualidade para oferecer para o nosso povo é o passo mais importante de uma Administração que está com os olhos voltados para a educação’, disse o artista

Xangai é um artista de personalidade bem definida. O cantor e compositor, que se apresentou no sábado, 21, na quarta noite do Forró Pé de Serra do Periperi, sempre dirigiu sua própria carreira musical com um rigor artístico que, se por um lado o mantém afastado da grande mídia, por outro o qualifica como um dos artistas com valor suficientemente autêntico para se apresentar nos eventos musicais promovidos pela Prefeitura de Vitória da Conquista. Afinal, o Governo Municipal também tem seus rigores artísticos, ao promover seus eventos. E é graças a eles que Xangai faz parte da programação.

“Essa escolha de pessoas que fazem uma arte de qualidade para oferecer para o nosso povo é o passo mais importante de uma administração que está com os olhos voltados para a educação”, observou o artista, em entrevista posterior ao show no qual pontuou canções de sua autoria com as de amigos como Zé Geraldo e Juraildes da Cruz – sem se esquecer, naturalmente, de clássicos inevitáveis de Luiz Gonzaga.

A estrutura do Centro Glauber Rocha – Educação e Cultura também foi mencionada pelo músico. “Aqui tem uma infraestrutura muito bem elaborada. Tem da comida à bebida típica”, disse Xangai, destacando que, se antes alguém sairia da cidade para passar o São João em outro lugar, hoje não há motivos para isso. “Então, eu não vou sair de Conquista. O povo é que virá para cá. Parabéns. Estou encantado e aplaudo”, afirmou.

‘Espetacular’– A insistente neblina, que caiu durante quase toda a quarta noite do evento, não foi suficiente para impedir que algumas pessoas se postassem junto à grade em frente ao palco, na primeira fila dos que estavam ali para ver a arte de Xangai. Uma delas era Terezinha Oliveira, que trabalha como encadernadora e restauradora de livros e se definiu como uma amiga de longa data da família do artista.

Terezinha

A amizade remonta aos tempos em que Xangai veio morar em Vitória da Conquista. Graças ao Forró Pé de Serra do Periperi, ela pôde revê-lo. “Foi espetacular. Não só o show, mas também o espaço, muito bom”, sintetizou Terezinha. “Estou aqui com minha família e estou adorando”, complementou, junto à grade de proteção e debaixo da interminável neblina.

‘Forró tradicional’ – A grade de proteção também ficará na memória do administrador Sérgio Leite, que veio de Salvador ao lado da mulher, a médica Giovana Leite, para passar o São João em Vitória da Conquista, terra de origem do casal. “Estamos aqui hoje, para ver o show de Xangai”, disse Sérgio, que teve dois motivos bem claros para voltar à capital do sudoeste. “Primeiro, meus familiares, que moram aqui. E segundo, a proposta de Vitória da Conquista de resgatar o forró tradicional, coisa que a gente não vê em outros lugares da Bahia”, contou sorridente.

Daisy Andrade

‘Regional, singular e plural’ – A atriz Daisy Andrade também tem uma relação próxima com Xangai e com sua obra. Ela faz parte do grupo Finos Trapos e atuou numa encenação do Auto da Catingueira, de Elomar, em Belo Horizonte, na qual interpretou a personagem Da Santa. Na ocasião, foi dirigida por Xangai e por Dércio Marques. As falas da personagem, gravadas por ela, apareciam em off ao longo de todo o espetáculo.

Daisy conhece de perto a obra de Xangai, e viu no Forró Pé de Serra do Periperi uma nova oportunidade de senti-la. “Já participei de diversos São Joões no interior. O de Vitória da Conquista é um dos melhores porque preserva a questão do artista da terra e traz nomes como Xangai, que é um ícone, uma marca da cidade, ao lado de Elomar”, observou a atriz. “Dou salva de palmas para Vitória da Conquista, porque em todos os eventos da Prefeitura que tenho acompanhado, como atriz e como artista, tenho visto essa aproximação do que é regional, singular e plural, com o público. Esse público, que é basicamente conquistense”, acrescentou.

[nggallery id=124]