Cristiano, acompanhado por seu pai, o agricultor José Batista Gomes

Aos 14 anos, Cristiano espera começar uma nova vida. Desde que entrou para a escola, o garoto sofria com os apelidos depreciativos e a implicância dos colegas. Isso porque, diferentemente de seus oito irmãos, Cristiano nasceu com uma alteração na face, o lábio leporino. A família moradora do município de Tanhaçu sofria com a situação do garoto, mas não encontrava solução, até procurar ajuda no Hospital Municipal Esaú Matos, em Vitória da Conquista, administrado pela Fundação de Saúde de Vitória da Conquista.

“Ele sofria demais com os colegas criticando, por causa disso as notas dele na escola ficaram baixas. Ele perdeu de ano duas vezes. Nós queríamos dar uma solução pra ele, mas não tínhamos condições”, conta o agricultor José Batista Gomes.

Quando chegou ao Esaú Matos, seu José percebeu que a vida de seu filho melhoraria. “Nós fomos muito bem recebidos. Eles nos tratam muito bem e rapidinho ele fez a cirurgia e já está bom. Foi um milagre”, comenta o pai emocionado. O garoto foi atendido pela equipe multidisciplinar do Centro de Referência em Cirurgias Reparadoras das Anomalias Faciais.

O Centro de Referência em Cirurgias Reparadoras das Anomalias Faciais funciona no Hospital Municipal Esaú Matos

O Centro oferece atendimento gratuito a centenas de pessoas, considerando a especificidade do problema e garantindo tratamento adequado a cada paciente. Além da intervenção cirúrgica, os pacientes passam por atendimento odontológico especializado, tratamento fonoaudiológico e de motricidade oro-facial especializado, incluindo cuidados para o aleitamento materno no caso de recém-nascidos e lactentes, além de acompanhamento pediátrico e a depender do caso, fisioterapia motora. O atendimento odontológico especializado tem sido gradativamente implantado sendo no momento realizado no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), situado no Centro Municipal de Atenção Especializada (Cemae).

Carlos Elias de Freitas, cirurgião especialista em cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial

“Todo atendimento em saúde deve ser humanizado, mas aqui, devido à fragilidade em que chegam tanto as crianças quanto os pais, nós buscamos oferecer um atendimento mais humanizado ainda”, afirma o cirurgião maxilo-facial responsável pelas cirurgias e coordenador da equipe do Centro, Carlos Elias de Freitas.

O serviço vem facilitando o acesso da população local e regional a esse tratamento que antes era feito apenas em grandes centros.

O serviço está em atividade desde outubro de 2008, e, desde então, vem facilitando o acesso da população local e regional a esse tratamento que antes era feito apenas em grandes centros. Já foram realizadas centenas de cirurgias, incluindo a correção de fissuras de lábio e palato (lábio leporino) e cirurgias para correção do maxilar inferior pequena (micrognatia).

Sobre as anomalias – As anomalias morfofuncionais congênitas maxilo-faciais, além de afetar o comportamento e o estado psicológico da família e futuramente do próprio paciente, provoca grandes prejuízos à saúde e à qualidade de vida. Frequentemente tais deformidades, quando não corretamente manejadas, seja clínica ou cirurgicamente, dificultam a alimentação via oral, levando a demora no ganho de peso e desenvolvimento da criança.

Graves problemas respiratórios podem ser desenvolvidos associados a estas anomalias quando não tratadas. A integração social, quer seja pela aparência alterada da face, quer seja pelas alterações fono-articulatórias, pode ser extremamente prejudicada quando o tratamento não é aplicado no tempo correto e de forma multi e interdisciplinar.