Na tarde desta quarta-feira (11), uma comitiva de vereadores da Câmara Municipal de Vitória da Conquista visitou o Cemitério do Kadija. O objetivo foi acompanhar as ações que a Prefeitura tem desenvolvido para lidar com a superlotação do equipamento.

Participaram da visita o vereador Coriolano Moraes (membro das comissões de Orçamento e de Educação); o vereador Valdemir Dias (da Comissão de Fiscalização dos Atos do Executivo); a vereadora Viviane Sampaio (líder da bancada de oposição); o vereador Jorge Bezerra; o coordenador de Serviços Básicos, José Marques; e a vereadora Nildma Ribeiro (membro da Comissão de Direitos Humanos)

“Inicialmente estamos utilizando espaços que já eram pré-dispostos para ampliação de sepulturas, que ficam entre uma quadra e outra”, explica o coordenador de Serviços Públicos, José Marques. Ele destaca que esses espaços não são as ruas de trânsito do cemitério, pois essas não serão alteradas: “Todos os locais que têm acesso para os carros das funerárias e os veículos para tirar entulho de dentro do cemitério serão preservados”.

Em paralelo a isso, têm sido feitas as exumações para o Ossário Municipal. O Cemitério do Kadija registra uma média de 50 sepultamentos por mês, e apenas 20 exumações. Com as obras que estão sendo executadas, será possível criar de 200 a 300 novas sepulturas.

“A gente veio observar que falaram que estavam enterrando na rua, e realmente não está. É uma rua dentro do cemitério, que, segundo o coordenador, já estava na previsão de abrir essas covas”, relata o vereador Valdemir Dias (PT). “O que a gente observa é que tem que ter o investimento imediato da Prefeitura, no sentido da ampliação aqui, da verticalização do cemitério, bem como, paralelo a isso, outro terreno para que se possa ter um novo cemitério público”, avalia.

O coordenador José Marques conduziu o grupo pelo Cemitério e explicou as ações e projetos que estão em prática

As necessidades evidenciadas pelo vereador já estão na mira do Governo Municipal. “O prefeito já veio aqui com os secretários de Infraestrutura e de Serviços Públicos e solicitou que fosse feito um projeto de um cemitério vertical, que é o chamado de gavetas. Esse projeto já está pronto, está em fase orçamentária”, afirma o coordenador José Marques.

Além disso, ele conta que o prefeito também exigiu a identificação de um terreno apropriado para a construção de um novo cemitério, tarefa que também já está em andamento pela equipe responsável.

“Pelo que presenciei aqui, já estive aqui outras vezes, não é a primeira vez, o projeto em si é muito bom”, comenta o vereador Jorge Bezerra (SD). “Falar que está enterrando o povo do lado de fora, é uma inverdade, é uma mentira. O que eu presenciei hoje aqui é uma coisa maravilhosa, fantástico esse projeto”, completa.

Ossário Municipal – O Ossário Municipal do Cemitério do Kadija foi ativado em 2017, quando o Governo Municipal deu início ao processo de exumações como medida emergencial para lidar com a superlotação do espaço. Atualmente, o Ossário ainda possui 50% de sua capacidade disponível.

“Existe uma lei que diz que, a partir de 48 meses, já pode ser exumado. Porém, a Prefeitura tem a sensibilidade, para não atingir as famílias no emocional, de solicitar que as pessoas venham e deem autorização para fazerem a exumação”, explica o coordenador José Marques. “Várias famílias têm nos procurado e, depois que conhecem o Ossário, veem que é algo bem organizado e bem higiênico, elas autorizam”, conta.

Para os vereadores, é preciso conscientizar a população de que se trata de um local adequado para receber os restos mortais dos entes queridos. “Fazer uma campanha com os familiares, para que eles possam autorizar para tirar dali e para sobrar espaço, e vir pro Ossário, que já está aqui pronto e tem espaço”, diz Valdemir.

O vereador Jorge Bezerra deixa o convite: “Seria interessante se a própria população visitasse o cemitério e tomasse conhecimento pessoalmente, como nós tivemos aqui e tomamos conhecimento.”