A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) está atuando na desobstrução de vias públicas, por meio da remoção de árvores e galhos derrubados pelas chuvas, e, de forma preventiva, na poda emergencial de plantas de grande porte, a exemplo dos eucaliptos, que possam oferecer algum risco, considerando a velocidade dos ventos e a força das precipitações recentes.

Além disso, a equipe técnica está avaliando a situação das árvores em toda a cidade – já foram mais de 320 nos últimos sete dias – para a realização dos procedimentos corretos. Todos os eucaliptos que estão próximos a muros e residências passarão por esta análise e a depender das condições serão retirados.

Já a poda das árvores muito altas, que já atingiram os fios de alta tensão, está sendo solicitada à Coelba, pois requer equipe específica e treinada para lidar com a parte de energização. Um exemplo disso é uma árvore localizada na esquina da avenida Frei Benjamim com a Aracaju. A equipe da Semma esteve no local e já encaminhou solicitação à Coelba, inclusive com o número da conta contrato dos moradores da residência localizada em frente ao local apontado.

De acordo com a secretária municipal do Meio Ambiente, Ana Cláudia Passos, trata-se de um serviço minucioso em que se trabalha com atenção redobrada. “Com base na análise, vamos realizando os serviços com a maior celeridade possível. É um trabalho muito cauteloso, inclusive com a necessidade de veículo apropriado para tal operação, porque algumas árvores são imensas e antigas, e nós precisamos atuar com muito cuidado, levando em conta o tipo de árvore, o local onde está e a segurança dos trabalhadores e dos transeuntes”, explicou.

A secretária explica ainda que se uma árvore está estruturada, em plenas condições fitoterápicas, não há como prever a quebra dos galhos. A pasta ainda informa que, com exceção dos eucaliptos, a maior parte das árvores derrubadas são de pequeno porte e cedeu por terem sido plantadas de forma superficial no solo, que estava encharcado – nos últimos oito dias houve um acúmulo médio de 299,25 milímetros de precipitação. Outra constatação da equipe foi que mais da metade das árvores que apresentaram quedas de galhos já haviam sido podadas anteriormente.

Além das podas, também está sendo feito o resgate de pássaros presentes nas árvores e a retirada dos resíduos que se acumulam após o corte da copa das plantas. Desde o dia 21, a equipe removeu quase 30 árvores, podou outras tantas e retirou inúmeros galhos que haviam obstruído ruas e avenidas. Até o momento, serviços como esses foram feitos em mais de 100 vias da zona urbana, além da retirada de uma árvore que caiu no canal de São João da Vitória.

A Semma está atuando com quatro equipes em diferentes locais da cidade, atendendo as demandas mais urgentes e priorizando as áreas em que há maior risco de queda. Enquanto isso, outras duas equipes técnicas fazem rondas constantes por todos os bairros, com o objetivo de monitorar e localizar possíveis riscos à população.

A secretária da pasta também orienta que ao se plantar uma árvore, é necessário seguir todos os critérios, que inicia no plantio e segue ao longo da vida da planta. “Quando a árvore cresce e tem uma situação de muita chuva, como agora, o solo fica encharcado e ela tende a tombar quando é mal plantada”, disse Ana Cláudia.

O serviço de poda é realizado de segunda a sábado. A execução das solicitações recebidas segue um cronograma. Só em 2023, foram podadas mais de 5 mil árvores, porém o crescimento é rápido.