O 1º Seminário Regional de Desenvolvimento Econômico, realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE) ontem e hoje (29), no auditório do Sest/Senat, com o tema “Conectando pessoas e prospectando negócios para a região foi considerado um sucesso pelos participantes. Nesta sexta-feira, o evento discutiu em palestras realizadas pela manhã e à tarde, o desenvolvimento urbano e social, a economia de setores populares, a inovação e tecnologia e o Turismo. O seminário foi encerrado oficialmente pela prefeita Sheila Lemos.

Um dos presentes, Gustavo Pessoti, presidente do Conselho Regional de Economia da Bahia (Corecon-BA) foi um dos avaliaram positivamente o evento. “A Bahia vem atravessando um momento bastante delicado em sua trajetória de crescimento econômico, por isso, este é um momento bastante oportuno para a realização desse evento. Conquista dá, com isso, um salto no direcionamento de um planejamento de desenvolvimento econômico, que o estado precisa copiar”, assegurou.

Gustavo lembrou que Vitória da Conquista está entre os principais municípios que movimentam a economia do estado. “Então, mais do que nunca precisamos de iniciativas como essa que congregam sociedade civil, instituições públicas, os órgãos relacionados ao desenvolvimento econômico. Tenho certeza de que se trata de um seminário que entrará no calendário de eventos da cidade”, concluiu.

O fato de a discussão ter sido aberta à sociedade foi também enaltecida por um dos palestrantes, o professor do Instituto Federal da Bahia (Ifba), Nilton Vasconcelos. “O seminário teve uma proposta muito positiva porque é indispensável essa discussão do desenvolvimento econômico aberta a sociedade, com as universidades, os vários atores que têm uma interpretação sobre o desenvolvimento econômico”, disse.

Responsável pela palestra sobre e economia de setores populares, o professor destacou que a escolha do tema demonstrou também a perspectiva social das discussões. “Esse tema, que compreende que para além da economia das grandes e médias empresas há uma economia popular, àquela presente nos bairros populares, tem uma particularidade, uma preocupação social dentro do econômico. Trazer essa abordagem para um debate como esse é muito rico. Espero que cada vez mais as discussões se aprofundem e possamos ter os desdobramentos e outras edições do seminário”, desejou.

Que tem expectativa semelhante é o presidente da Câmara Turística Caminhos do Sudoeste e secretário de Meio Ambiente de Iguaí, Roberto Macedo. “Um evento desse porte só faz beneficiar toda a região. Os temas abordados, como a criação do polo têxtil, foram extremamente importantes. Acho que esse seminário, ou eventos desse tipo, devem acontecer com uma frequência maior para que os especialistas exponham esses dados extremamente relevantes para a orientação dos gestores dos municípios”, afirmou.