Chegou ao final nesta terça-feira (28), a Campanha Municipal de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes, nacionalmente denominado de Maio Laranja. Entre as atividades realizadas está o seminário “A Política Municipal de Promoção, Proteção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente e as respostas do atendimento integral de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas e suas famílias”. O evento, realizado no auditório da Fainor, contou com a participação de agentes do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente de Vitória da Conquista, que ouviram atentamente a exposição do professor Benedito Rodrigues dos Santos, consultor do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da Childhood Brasil.

O consultor da Unicef destacou que uma das melhores formas de enfrentar a violência é a prevenção e ponderou como as três esferas do poder executivo podem atuar junto para reduzir o número de casos. “Hoje, a gente tem uma quantidade de casos muito grande e onera os serviços que tem, mas Vitória da Conquista já deu um grande passo com a implementação da Lei 3.431 de 2017. Já foi criado aqui o Comitê de Gestão Colegiada, desenhados os fluxos, elaborado o protocolo, nós temos um Complexo de Escuta Protegida, então a cidade está se preparando para tratar melhor as crianças e adolescentes”, discorreu o palestrante.

O professor Benedito, que também ajudou na elaboração do protocolo e do fluxo da Escuta Protegida, entregou ao secretário de Desenvolvimento Social, Michael Farias, uma publicação lançada pelo Ministério de Direitos Humanos que traz Vitória da Conquista como caso de sucesso na implantação da Lei de Escuta Protegida.

Michael Farias afirmou que a união da rede municipal de Vitória da Conquista tem buscado garantir a proteção das crianças e adolescentes da violência sexual e o empenho de todos os entes envolvidos tem criado esses resultados. Ele destacou também a importância do seminário ao debater toda a política de direitos humanos do Município. “Vitória da Conquista segue avançando na proteção integral de crianças e adolescentes através de um amplo compromisso dos diversos atores do sistema de garantia de direitos, de maneira que a gente possa continuar sendo uma referência nacional na profissão de crianças e adolescentes”, declarou Michael.

A campanha municipal, realizada anualmente pela Prefeitura de Vitória da Conquista e pelo Comitê Municipal de Gestão Colegiada da Rede de Cuidado e Proteção Social das Crianças e dos Adolescentes Vítimas ou Testemunhas de Violência (CMRPC), teve como tema “Faça Bonito: Escutar é Proteger”.

A representante do Comitê Municipal de Gestão Colegiada, Dayane Santiago, destacou o protagonismo do Nuca e afirmou: “é por eles e para eles que estamos aqui”. E ainda agradeceu o empenho da rede. “Um órgão sozinho não consegue fazer então cabe o compromisso da nossa rede e agradecemos a responsabilidade e o empenho de cada órgão que compõem essa rede. A campanha acaba, mas infelizmente a violência está aí. Cabe a nós continuarmos nessa luta”, disse.

Representando o Sistema de Segurança Pública, a delegada Rosilene Moreira falou das demandas diárias e das inquietações vividas. Para ela é preciso quebrar tabus, incentivando os homens a participarem dessas discussões e ensinar as crianças e adolescentes sobre Educação Sexual.

A representante do Nuca, Anali Santos, de 15 anos, falou da alegria de representar o Núcleo neste importante evento. “Somos sujeitos de direitos e podemos mobilizar outros adolescentes. Pedimos a vocês: não permita que as estatísticas aumentem, protejam nossas crianças e adolescentes”, pediu a adolescente.

Ainda participaram da frente de honra a subsecretária de Educação, Selma Oliveira, a assessora de Saúde, Lorena Almeida, e o presidente do Comdica, Joabe Silva.

Impacto positivo no trabalho

Sheli Santos

Sheli Santos é educadora social há 14 anos e sempre participa dessas formações. “A gestão da Prefeitura Municipal tem a preocupação de capacitar os servidores para atendimento em todas as áreas, especificamente no enfrentamento da violência contra crianças e adolescentes. Eu vejo sempre de forma positiva, porque impacta diretamente no trabalho de quem está na ponta, que é quem está realmente acolhendo e atendendo as crianças em vulnerabilidade. Todos os momentos de capacitação eu considero de extrema importância, porque eles conseguem reduzir não só os impactos negativos da criança que já chega em estado de vulnerabilidade, como também a forma técnica de se atender corretamente a cada usuário que chega pra gente”, comentou a servidora.

Ainda participaram da frente de honra a subsecretária de Educação, Selma Oliveira, a assessora de Saúde, Lorena Almeida, e o presidente do Comdica, Joabe Silva. No evento, a adolescentes Brenda, do Cras 8, cantou a música “Trem Bala”, emocionando e arrancando aplausos do público.