Está sendo implantado em Vitória da Conquista o Programa “Crack é possível vencer”. Lançado pelo Governo Federal, o programa tem como objetivo promover a atenção integral aos usuários de crack, bem como prevenir o uso e enfrentar o tráfico de drogas no município.

Na última sexta-feira, 23, foi realizada uma reunião do Comitê Gestor Municipal do programa. No encontro, estavam presentes representantes das polícias Rodoviária Federal e Militar, da Prefeitura de Vitória da Conquista e do Núcleo de Defesa da Criança e do Adolescente da Universidade Estadual da Sudoeste da Bahia (Uesb). Na ocasião, foram apresentados alguns pontos do plano de ação local, que contará com a implantação de três Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD3).

Tarcísia Castro, coordenadora do Programa “Crack é possível vencer”

Segundo a coordenadora do Programa “Crack é possível vencer”, Tarcísia Castro, “os dois Caps existentes atualmente em Conquista – que já realizam trabalho junto aos dependentes químicos – serão reclassificados e passarão a funcionar como Caps AD3. Esses serviços funcionarão 24 horas e cada um deles contará com 12 leitos para internamento”. Também serão implantadas duas unidades de acolhimento transitório, uma de caráter infantil e outro provisório.

Ainda faz parte do programa a criação de uma base comunitária, com duas viaturas, duas motos e a instalação de 20 câmaras de videomonitoramento. No próximo dia 2 de setembro, será iniciada a capacitação dos 40 profissionais que atuarão nesse equipamento.

Outro empenho da Administração Municipal que promoveu resultado foi a doação do imóvel em desuso, pertencente à União, localizado na BR-116. No local, funcionará um Caps AD, voltado para o atendimento aos usuários de drogas, oferecendo segurança, dignidade e assistência real às necessidades dos dependentes químicos.

Além de Vitória da Conquista, mais 27 municípios também fizeram a adesão, elevando de 90 para 118 o número de cidades participantes do “Crack, é Possível Vencer”. O programa reúne diversas ações que envolvem diretamente as políticas de saúde, assistência social e segurança pública e, de forma complementar, ações de educação e de garantia de direitos.