A roda de conversa foi realizada no Centro de convivência do Idoso

Buscando fomentar inclusão e diversidade, a Prefeitura de Vitória da Conquista tem promovido rodas de conversa ao longo do mês, como parte da campanha Maio da Diversidade. Nessa terça-feira (21), a coordenação de de Políticas de Promoção da Cidadania e Direitos de LGBT, vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes), realizou uma discussão com membros da comunidade LGBTQIAPN+ sobre os tabus relacionados ao HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) e Aids.

O evento aconteceu no Centro de Convivência do Idoso e contou com a participação da equipe do Centro de Apoio e Atenção à Vida (Caav), que palestrou sobre os estigmas e preconceitos que ainda permeiam o vírus nos dias atuais. “Esse é um momento em que podemos estar mais perto da população, levando informação e prevenindo que mais pessoas sejam contaminadas. Queremos que os conhecimentos adquiridos aqui sejam passados para frente e multiplicados”, relatou a enfermeira do Caav responsável por mediar a conversa, Kamila Dantas.

Para o coordenador Políticas de Promoção da Cidadania e Direitos de LGBT, José Mário Barbosa, a campanha é o momento oportuno para dialogar com os movimentos sociais e discutir questões relacionadas à população LGBTQIAPN+, por isso, ao longo do mês, estão sendo fomentadas discussões relacionadas à saúde, garantia de direitos, representatividade artística e cultural. “Durante a campanha compartilhamos a política voltada para as pessoas LGBTQIAPN+ nos mais diversos espaços, ampliando as discussões sobre temas relevantes com profissionais de vários segmentos. Hoje, especialmente, estamos trabalhando a questão da prevenção e cuidado em relação ao HIV com o público jovem”, explicou José Mário.

O professor da Ufba, Guilherme Barreto, participou da roda de conversa e relatou que ela foi um momento enriquecedor para adquirir novos conhecimentos e trocar experiências com profissionais de diferentes áreas de conhecimento. “O fato de diferentes profissionais e usuários dos serviços terem voz nesse espaço de discussão, contribui para que possamos enxergar um mesmo problema de diferentes formas. Esse é um momento propício para construirmos redes e mecanismos para combater esse problema, no caso as contaminações por HIV e Aids”, afirmou Guilherme.

As ações do Maio da Diversidade continuam até o final do mês com eventos artísticos, culturais e painéis sobre temas relacionados à população LGBTQIAPN+. Ao longo do mês já foram discutidos assuntos relacionados à conquista de direitos pela população transexual e nos próximos dias serão feitas rodas de conversa para debater questões como a saúde mental e a importância da Marcha do Orgulho LGBTQIAPN+, que acontece no dia 1º de junho.