Após concluir a manutenção das vias mais movimentadas e dos corredores de ônibus, a Prefeitura, por meio da Empresa Municipal de Urbanização (Emurc), está empenhada em atender às necessidades das vias residenciais que também foram afetadas pelas chuvas do início do ano, por meio da operação Tapa-Buraco.

Aproveitando a chegada dos insumos necessários e o período de estiagem, que é propício ao manejo do Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), a equipe da Emurc realizou os trabalhos nessa sexta-feira (3) em duas frentes: uma na Rua Duarte da Costa, localizada no bairro Alto Maron, e outra no bairro Santa Cruz, nas ruas 18, 19 e 20, entre outras vias adjacentes.

Vivaldo Oliveira é morador da Rua 18 há cerca de 14 anos e conta que se surpreendeu com a presença da máquina compactadora de asfalto trabalhando em sua porta. “É a primeira vez que vejo este trabalho ser feito nessas vias transversais. Fico muito satisfeito, pois sofremos muito com os buracos que se multiplicam na época das chuvas e agora, sim, o problema está resolvido”, revelou o morador.

A moradora da Rua 19, Araceli Lima, afirma que o asfaltamento feito pela Operação Tapa-Buraco melhora o aspecto da rua e favorece os moradores a manterem a limpeza de suas residências. “Principalmente neste período de avanço dos casos de dengue, havia muita preocupação com o acúmulo de água nos buracos. Estou satisfeita com o resultado agora”, salientou Araceli.

Além do Alto Maron e do Santa Cruz, 37 localidades foram atendidas pela Operação Tapa-Buraco até o final do mês de abril. São elas: BNH, Candeias, Brasil, Patagônia, Recreio, Iracema, Inhobim, Flamengo, Santa Cecília, Alto Maron, Primavera, Urbis II, Urbis III, Centro, Alegria, Jurema, Boa Vista, Guarani, Ibirapuera, Cruzeiro, Urbis 4, Urbis 5, Lot. Maria Carolina, Dantilândia, Campinhos, Morada dos Pássaros II, Morada dos Pássaros III, Felícia, Vila Serrana II, Bateias, Senhorinha Cairo, Morada do Bem Querer, Lot Antonio Brito, Santa Cruz, Povoado de Veredinha, Povoado de São Sebastião, São Pedro. Cerca de 428 vias no total.

Segundo o secretário Jackson Yoshiura, a manutenção das vias residenciais é fundamental para garantir a mobilidade e o acesso seguro aos moradores, além de contribuir para a valorização dos bairros e para a qualidade de vida dos munícipes. “Esse é um trabalho ininterrupto, que ocorre com ou sem chuva, mas é intensificado após os períodos de chuva, porque não se pode aplicar o asfalto em local úmido, daí a necessidade de esperar a estiagem para a realização do serviço”, explicou.