Ouvidoria Geral do Município, localizada na Rua Coronel Gugé

 

Atuando de foram integrada com a Ouvidoria da Saúde, o órgão registrou 1.388 manifestações de moradores em 2014

No dia 31 de dezembro de 2014, a Ouvidoria Geral de Vitória da Conquista recebeu de algum morador do município a manifestação de número 1.388, a última do ano. Desse total, 841 foram registradas pela Ouvidoria Geral da Saúde, que trata especificamente das demandas relacionadas a esse setor. Ambos os setores, funcionando de forma integrada, compõem o principal “canal de comunicação entre o cidadão e o poder público”, como define o ouvidor-geral da Saúde, Juliano Paim.

Mais de 90% das demandas registradas no ano vieram de moradores interessados em fazer reclamações ou solicitar alguma informação sobre serviços oferecidos pelo município. A lista inclui ainda denúncias, elogios e sugestões, entre outros. Mas, independente do que o cidadão queira fazer ao entrar em contato, é inegável que o trabalho da Ouvidoria tem chegado ao conhecimento da população de forma cada vez mais intensa.

‘Muito bem atendida’ – Foi o caso, por exemplo, da ex-empregada doméstica Eleuza Santos, 47 anos, que não teve dúvidas quando decidiu recorrer à Ouvidoria. Por conta de uma série de infortúnios que lhe ocorreram nos últimos anos – um tumor no cérebro, cuja maior parte foi extraída numa cirurgia realizada em Salvador, e ainda outros problemas cardíacos mais recentes –, ela se viu impedida de trabalhar e tendo de se consultar com um neurologista a cada dois meses.

A fim de informar à Secretaria Municipal de Saúde sobre a gravidade de seu quadro de saúde, que a torna uma paciente com prioridade na marcação de exames, ela procurou pelo órgão. “Desde a primeira vez que fui lá, nunca tive do que me queixar. Sempre fui muito bem atendida por todo mundo, na Secretaria Municipal de Saúde e na Ouvidoria”, conta Eleuza.

Papel intermediador – “O papel da Ouvidoria é intermediar todas as demandas do cidadão em relação aos serviços prestados pelo município”, explica a ouvidora-geral de Vitória da Conquista, Marília Palles. Ela enfatiza que o papel intermediador é a principal função da Ouvidoria, mediando o contato entre a população e os setores públicos responsáveis pelos serviços que são citados nas demandas remetidas ao órgão.

“Às vezes algumas pessoas têm a impressão de que, quando chegam à Ouvidoria, é para resolver todos os problemas”, explica Marília. “Na verdade, nós fazemos o encaminhamento das demandas. A partir dessa intermediação, o problema pode ser resolvido, dentro das possibilidades e da legislação, e cumprindo todas as normas”, complementa a ouvidora.

Cartilha explicativa – Para se informar de forma mais esclarecedora a respeito das atribuições da Ouvidoria, e também da forma como o setor funciona, Marília recomenda que, antes de entrar em contato, o cidadão leia a cartilha explicativa, que traz todas essas informações de forma didática. Lançado em junho de 2014, o material encontra-se disponível no site oficial da Prefeitura. “É importante que as pessoas leiam a cartilha, porque é um instrumento educativo. Aí, elas vão conhecer todos os passos e entender mais sobre o funcionamento desse importante órgão”, sugere Marília.

Contato – Para apresentar qualquer manifestação – denúncias, reclamações, informações, solicitações, elogios ou sugestões – sobre os serviços disponibilizados pela Administração Municipal, o cidadão pode entrar em contato com a Ouvidoria por meio do telefone 0800 284 5857, ou via internet, através do site da Prefeitura.O contato também pode ser feito de forma presencial, na sede da Ouvidoria Geral do Município, localizada na Rua Coronel Gugé, nº 401, Centro – ao lado da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer.