Aconteceu nesse sábado, 24, na Agência Municipal de Desenvolvimento, Trabalho e Renda/ADTR, o Seminário de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, atividade que integra a programação do Novembro Negro. O evento foi uma realização do Conselho Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial/Compir.

Além de diversas lideranças do movimento negro e autoridades religiosas de matriz africana, participaram do encontro o presidente do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Adalberto Dias; a representante do Conselho das Associações Quilombolas do Território de Vitória da Conquista, Robélia Mota; o secretário Municipal de Governo, Edwaldo Alves; e o secretário de Desenvolvimento Social, Miguel Felício.

Durante o encontro, foram definidos prazos e metas do Plano Municipal de Políticas de Igualdade Racial. O documento final, que será aprovado pelo Compir no dia 4 de dezembro, está dividido em 12 temas norteadores, entre os quais, juventude negra, mulher negra, religiões de matrizes africanas, comunidades quilombolas, educação, cultura, racismo institucional, direitos humanos e segurança, acesso a terra, desenvolvimento econômico, povos indígenas e ciganos etc. As ações que fazem parte do plano são direcionadas às diversas áreas do Governo Municipal, como mecanismo para o desenvolvimento das políticas públicas voltadas à comunidade negra em Vitória da Conquista.

Durante o seminário, a representante do Conselho das Associações Quilombolas do Território de Vitória da Conquista, Robélia Mota, destacou que a sociedade precisa avançar muito nas questões étnicas, e para isso é necessário ocupar o maior número de espaços de discussões possíveis. Já o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Miguel Felício, destacou em sua fala que já está em processo de conclusão o texto final da lei que cria a Coordenação Municipal de Promoção da Igualdade Racial.

O assessor técnico em Políticas de Igualdade Racial, Flávio Passos, ressaltou que, desde 2004, o Governo Municipal tem desenvolvido ações voltadas para a promoção da igualdade racial. Como exemplo, o assessor destacou a manutenção de um núcleo específico para o tema, além da elaboração do Plano Municipal de Políticas para a Igualdade. “Qualquer ação do poder público precisa de uma orientação, de uma diretriz, e esse é o papel do plano. Ele traduz as perspectivas de superação do racismo através de ações intersetoriais e do diálogo com o Conselho de Promoção da Igualdade, que já existe no município”, disse.