Ex-jogador Piolho (sentado), juntamente ao prefeito Herzem Gusmão,vereadores e membros do Governo Municipal.

Segurança e gratidão são os sentimentos vividos pelo ex-jogador Antônio Jesuíno da Silva, o “Piolho”, nesta segunda-feira (25). É que há cerca de 20 anos, o ex-craque do futebol tinha uma propriedade doada pela Prefeitura de Vitória da Conquista, mas não tinha um documento em seu nome. Nesta manhã, o prefeito Herzem Gusmão assinou o termo de concessão, que garante o direito real da área.
“Me sinto muito orgulhoso. Agora, graças a Deus, através de Herzem, saiu minha casa. Quero muito agradecer ao governo”, disse Piolho – jogador que teve passagens memoráveis por equipes profissionais como Bahia e Vitória, além de times amadores de Vitória da Conquista.
O ato de assinatura foi realizado no Gabinete Civil da Prefeitura da Zona Oeste e contou com a presença dos vereadores Álvaro Pithon, Jorge Bezerra e Osmário Lacerda, do chefe de Gabinete, Marcos Ferreira, do Diretor de Habitação de Interesse Social, Péricles Nascimento e do coordenador de Esportes, Jaldo Mendes.

Prefeito Herzem Gusmão assina termo de concessão.

“O Piolho foi alcançado por este nosso trabalho de regularização fundiária. Fico feliz por estarmos avançando para abençoar as pessoas e contemplá-las nos seus direitos”, declarou o prefeito.
Regularização fundiária – Na oportunidade, Herzem ressaltou o trabalho de regularização fundiária que é feito pelo Governo Municipal. “A regularização fundiária é um direito extraordinário, é você ter uma escritura do que é seu”, resumiu.
O Diretor de Habitação de Interesse Social anunciou que o Morar Legal – programa de regularização fundiária do Governo Municipal – vai iniciar a segunda etapa no Vila América e regularizar as pendências que ficaram da primeira etapa. “Com isso, pretendemos fechar todo loteamento, entregando até duas mil escrituras se resolvermos todas as pendencias”. Em seguida, o Morar Legal chega ao Ibirapuera e depois vai ao Conjunto da Vitória.
No segundo semestre, o programa retorna aos loteamentos Henriqueta Prates, Recanto das Águas e Bruno Bacelar para sanar todas as pendências. “Pretendemos entregar 6 mil escrituras esse ano, o que totaliza aproximadamente 10 mil escrituras do ano passado até final deste ano”, finalizou Nascimento.