Para discutir os direitos dos deficientes na sociedade, foi realizada uma roda de conversa pelo Cras I, do Bairro Bruno Bacelar, no Centro de Convivência da Urbis V. A discussão foi também uma forma de celebrar o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, comemorado no dia 21 de setembro. Participaram da ação, usuárias do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos.

 

A educadora social do serviço, Wilma Célia Sousa, falou da atividade. “Nós trabalhamos a cada mês um tema diferente, conforme o tema abordado na assistência social. Hoje, o objetivo foi fortalecer os direitos das pessoas com deficiência e promover o respeito à inclusão social”, explicou.

Nos últimos meses, o grupo também trabalhou temáticas como Setembro Amarelo, Lei Maria da Penha e abuso sexual contra crianças e adolescentes. Nos encontros, as usuárias também podem tirar dúvidas sobre serviços como o CadÚnico, BPC e Auíxlio Brasil.

Para as participantes, os encontros são muito proveitosos. “Eu acho um trabalho muito interessante, tinha muita coisa que a gente estava sem saber, presas por causa dessa pandemia”, disse a artesã Maria das Graças dos Santos. Ela também elogiou a interação do grupo: “Uma ajuda a outra, e se a gente tiver alguma dificuldade, o Cras tá à disposição pra ajudar. Bom mesmo.”

Para Sandra Alves do Espírito Santo, estar ciente dos direitos dos cidadãos é essencial para cobrar melhorias aos governantes. “O Cras serviu para a nossa melhoria, além de estar expandindo os nossos conhecimentos, porque tem coisas que a gente é leiga, que nem sabia que existia, e através do Cras recebemos as informações que elas trazem pra gente, e ficamos inteirados na sociedade”, afirmou.