Fora dos muros do CAPS AD III, as equipes interdisciplinares do serviço têm construído grupos de apoio em espaços que necessitam de ações positivas. Como é o caso do Grupo Eles por Elas, criado no Lar da Misericórdia, uma instituição que acolhe homens que antes viviam em situação de rua e que, atualmente, buscam novas perspectivas de vida.

O grupo é norteado pela Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem e, por isso, é voltado para os membros do gênero masculino. Os encontros acontecerão em cinco sessões. A primeira, já foi realizada nesta terça-feira (11) e tem o objetivo de discutir questões comuns que permeiam o sexo masculino mas que ainda são tabus.

“O grupo tem a participação de vários profissionais do serviço, considerando a interdisciplinaridade da equipe, formada por médico, enfermeira, farmacêutica e agente de ação social, coordenando as sessões do grupo que vão discutir questões de saúde física, psíquica, sexualidade e afetividade”, explica Marinalva Pereira, agente de ação social do CAPS AD III que está à frente da iniciativa do grupo Lar da Misericórdia.

Martinho Assis, um dos membros do Lar da Misericórdia, participou do primeiro encontro e aprovou as discussões levantadas pelos profissionais: “Gostei muito do grupo e achei interessante o que ela falou sobre o sexo, os jeitos de prevenir usando camisinha para evitar doenças que ás vezes a gente não sabe que tem, mas pode passar pra outras pessoas. Gostei que ela também falou dos direitos dos homens e das mulheres, porque nós temos os mesmos direitos. A gente tem que dar o respeito à mulher para nós sermos respeitados”, conta.

De acordo com Aracely Schettine, gerente do CAPS AD III, hoje há um trabalho de parceria com o Lar da Misericórdia: “Nós encaminhamos pessoas daqui, que a gente entende que precisam desse suporte, um local de segurança e com propósito terapêutico mesmo. E eles também têm alguns internos que são acompanhados por nós, gente aqui no serviço. Então é uma parceria de ida e vinda”.