Novo Centro Obstétrico do hospital, após reforma e ampliação

Grávida de 37 semanas, Zita Reis dos Santos vem sendo atendida desde o início da gestação pela equipe do Hospital Municipal Esaú Matos. Na manhã desta quarta-feira (20), ela conheceu o Centro Obstétrico do hospital após reforma e ampliação. Para ela, que diz sempre ter sido recebida com cuidado e carinho no local, a novidade está aprovada: “Ficou ótimo, maravilhoso. Espero que a gente fique mais aconchegada e mais à vontade. Estou vendo ali um espaço onde a gente pode até fazer uma massagem na hora das dores. Ficou bem bonito.”

O diretor-geral da Fundação de Saúde, Felipe Bittencourt (o segundo à direita): “Essa estrutura segue o modelo da gestão municipal, que é mudar para melhor”.

Zita conheceu o Centro Obstétrico do Hospital Esaú Matos juntamente com o prefeito Herzem Gusmão e sua comitiva. O prefeito demonstrou a felicidade em ver o resultado do trabalho executado no local: “Me impressiona a capacidade da equipe jovem que nós colocamos aqui. Isso é fruto dos investimentos, dos recursos públicos, quando esses recursos retornam de maneira correta em benefício para a sociedade, para uma população regional, porque este Hospital atende a vários municípios do sudoeste da Bahia.”

As obras permitiram a ampliação de cinco para nove leitos individuais, de um para três banheiros e de um para três consultórios

As obras de reforma e ampliação do equipamento permitiram a ampliação de cinco para nove leitos individuais, de um para três banheiros, e de um para três consultórios, trazendo um ambiente adequado para o parto humanizado, conforme explica o diretor-geral da Fundação Pública de Saúde, Felipe Bittencourt. “Então essa estrutura que fizemos agora, com investimentos próprios, segue o modelo de gestão principal que a gestão municipal está fazendo no município, que é mudar para melhor”, afirma.

Zita Reis dos Santos: “Ficou ótimo, maravilhoso”

A diretora Técnica Operacional do Hospital, Rosa Caracas, explica que as gestantes são acolhidas pelo setor de triagem, e aquelas que já se encontram em trabalho de parto são encaminhadas para o Centro Obstetrício. Após o parto, elas são realocadas para a enfermaria. “Isso vai melhorar muito o serviço, porque dá mais privacidade e conforto para a gestante e para o acompanhante dessa paciente. Assim, o acompanhante vai poder acompanhá-la desde a triagem até a resolução do parto e a enfermaria.”