O público do 1º Seminário Regional de Desenvolvimento Econômico, realizado pela Prefeitura, teve a oportunidade de conhecer, nesta sexta-feira (29), o projeto de implantação do polo têxtil de Vitória da Conquista. A apresentação ficou sob a responsabilidade do consultor e professor Kanji Kato, uma das principais referências da América do Sul na área têxtil.

Com mais de 25 anos de experiência, Kanji Kato mostrou os exemplos de polos já consolidados, como o do Agreste Pernambucano, que possui uma receita anual superior a R$ 3,8 bilhões ao ano e recebe a visita de mais de 180 mil pessoas em dias festivos e 100 mil em dias normais. Além disso, ele falou dos benefícios da implantação do polo têxtil não só para Conquista, mas para toda região.

“Esse polo é de suma importância e uma grande alavanca para a geração de empregos diretos e indiretos. Acredito inclusive que ele é o caminho mais direto para o desenvolvimento, não só de Vitória da Conquista, mas de toda a região. Será a união de todos os municípios, a partir dele, que fortalecerá a economia regional”, assegurou o consultor.

Por esse caráter, de mola propulsora do desenvolvimento econômico regional, é que o polo têxtil não poderia ficar de fora da programação do seminário, como contou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Marcos Ferreira.

“Esse é um projeto que depois de implantado emprega mais de 9 mil pessoas, como vimos, que movimenta cerca de R$ 4 bilhões anualmente. Nosso potencial é enorme e esse é um projeto macro, que envolve toda as cidades do entorno de Conquista. Tenho certeza de que este será o maior legado do primeiro governo da prefeita Sheila Lemos”, enfatizou o secretário.

A explanação dos dados entusiasmou o prefeito de Ibicoara, cidade que fica a 212 km de Vitória da Conquista, Gilmadson Melo. “Vi com muito bons olhos. É uma coisa que eu esperava que acontecesse porque a nossa região tem um potencial fantástico e dando as mãos num projeto como esse, idealizado por Vitória da Conquista, seremos uma das regiões mais fortes do Brasil”, assegurou.

De acordo com o consultor Kanji Kato, a primeira fase do projeto, que consistiu na preparação e planejamento do mesmo, já foi realizada. “Agora, vamos começar a analisar e discutir, conforme os critérios técnicos, as várias áreas em que ele poderá ser alocado. Depois, discutiremos com a Prefeitura de Conquista acerca da decisão”, explicou. Além disso, estão previstas outras fases, como a formação da equipe e a qualificação de futuros operadores.