Vitória da Conquista é referência em saneamento básico

DSC_30491

Nova Estação de Tratamento do Sistema de Esgotamento Sanitário (ETE)

Avanços nos serviços de água tratada, coleta e tratamento dos esgotos fizeram o município atingir 85% de cobertura e saltar da 36ª colocação para a 14ª no ranking do Instituto Trata Brasil

Em tempos de discussões sérias acerca de saneamento básico, a ponto de a Igreja Católica e outras instituições cristãs elegerem o assunto como eixo central de sua Campanha da Fraternidade em 2016, Vitória da Conquista ocupa um lugar de referência nessa matéria, nas regiões norte e nordeste do Brasil.

Essa realidade foi atestada pelo mais recente Ranking do Saneamento Básico, um estudo publicado em 2015 pelo Instituto Trata Brasil, com base em informações do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

A pesquisa avaliou os serviços de água e esgoto dos 100 maiores municípios do país e concluiu que Vitória da Conquista saltou da 36ª para a 14ª colocação, ficando à frente, por exemplo, de capitais como Goiânia (28ª), Brasília (36ª), Vitória (42ª) e Recife (66ª).

Universalização – Há que se considerar que Vitória da Conquista, hoje, possui 85% de sua área coberta pelo sistema de esgoto. Também é importante destacar que, se ainda não chegamos a atingir a marca de 100%, somos o município baiano com maiores possibilidades de alcançá-la nos próximos anos.

Afinal, recordemos que o estudo publicado pelo Instituto Trata Brasil põe Vitória da Conquista em 14º lugar, ou seja, bem à frente das duas maiores cidades baianas: Salvador, 37ª colocada, e Feira de Santana, 61ª. O estudo se baseou em critérios como abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos, perdas, investimentos, arrecadação.

Portanto, logicamente, nenhum outro município baiano teria tantas chances de universalizar seu sistema de esgotamento sanitário, nos próximos anos, quanto Vitória da Conquista.

Um importante passo para que o município chegasse aos 85% de cobertura de esgotamento foi a instalação, há cerca de dois anos, da nova Estação de Tratamento do Sistema de Esgotamento Sanitário (ETE). Trata-se de um sistema construído com recursos federais e estaduais, por meio da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), que somaram aproximadamente R$ 120 milhões. A obra foi responsável por substituir e aposentar o antigo “Penicão”.

Pavimentação e drenagem – E, se há grande extensão de cobertura de esgotamento, também há grande quilometragem de ruas e avenidas asfaltadas. Explica-se: a Prefeitura só executa o serviço de pavimentação – sempre acompanhada de um sistema de drenagem – às vias que já dispõem do sistema subterrâneo de esgoto. Portanto, não há nenhuma coincidência no fato de existirem esses dois índices – 85% de esgotamento sanitário e aproximadamente 720 ruas e avenidas pavimentadas nos últimos sete anos, e ainda cerca de 20 quilômetros de drenagem subterrânea.

Plano Municipal – Para completar, Vitória da Conquista atualmente inicia, com a colaboração da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), a elaboração de seu Plano Municipal de Saneamento Básico, cujo termo de referência já foi concluído.

Dentre os planos que estão sendo elaborados no município, o de Saneamento Básico será composto pelos planos de drenagem pluvial, esgotamento sanitário, energia elétrica, resíduos sólidos e abastecimento de água potável. A elaboração do documento envolve, além da Secretaria de Infraestrutura Urbana, as de Meio Ambiente, Serviços Públicos e Mobilidade Urbana.

Notícias Relacionadas

Infraestrutura Urbana
24/04
Prefeitura realiza operação tapa-buraco na avenida Amazonas
Gabinete Civil
24/04
Em Brasília, prefeito participa de evento sobre sustentabilidade urbana
Gabinete Civil
24/04
Vitória da Conquista ganha serviço de alta complexidade em Oncologia pelo SUS
Educação
24/04
Secretarias de Educação e Infraestrutura visitam obras do planetário