A partir desta quinta-feira (23), lojas, bancos e demais estabelecimentos que estão em funcionamento na cidade não podem permitir a entrada de pessoas que não estejam usando máscaras. A exigência é mais uma medida de prevenção à proliferação do novo coronavírus. Para fiscalizar a adesão à nova regra, a equipe da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, com o apoio do Tiro de Guerra 06-066, circulou pelo comércio da cidade durante todo o dia.

Equipes da Secretaria de Serviços Públicos, com o apoio do Tiro de Guerra, fiscalizaram o uso de máscaras nos estabelecimentos comerciais

Para o secretário Luís Paulo Santos, que acompanhou a ação, a avaliação é positiva. “A gente está hoje, no primeiro dia, passando e orientando. A gente já fez hoje uma parte do comércio, e percebemos que eles já estão cumprindo o decreto, muitos estão usando, encontramos pouquíssimas pessoas que não estão usando a máscara”, justificou.

Nesse primeiro momento, está sendo feito um trabalho educativo. As equipes visitaram as lojas conversando com vendedores e clientes sobre a necessidade do uso da máscara e outras medidas de segurança. As ações de fiscalização serão frequentes e, de acordo com o Decreto nº 20.265/20, os estabelecimentos que não cumprirem a norma podem ser autuados.

O vendedor Sílvio Nascimento Sousa tem tomado todos os cuidados possíveis para evitar a contaminação

A iniciativa contou com o apoio do Tiro de Guerra 06-066, que disponibilizou um total de 60 homens para acompanhar a fiscalização ao longo do dia. Para o auxiliar instrutor Brito, essa parceria é muito importante para a conscientização das pessoas. “Não cumprindo isso [o decreto], o estabelecimento será autuado com multa, correndo o risco de ser até fechado. Então é muito importante a gente antes orientar, para a pessoa ter a ciência das orientações passadas pela nossa gestão e pela Organização Mundial da Saúde”, afirmou.

Sílvio Nascimento Sousa é vendedor em uma ótica no centro da cidade e recebeu a visita dos agentes de fiscalização nesta manhã. Segundo ele, o estabelecimento tem fornecido máscaras para os clientes que chegam sem. “Pela seriedade da pandemia, do jeito que está aí, eu acho que temos que nos prevenir mesmo. Então a maior forma de prevenção seria a máscara, higienizar as mãos – e inclusive as luvas, que nós vamos passar a usar também – para ter uma questão de segurança maior. Álcool em gel também estamos disponibilizando”, informou.

Para o lojista Felinto Rocha, para a luta contra o coronavírus ser efetiva, todos precisam fazer a sua parte

Para o lojista Felinto Rocha, a obrigatoriedade do uso da máscara é necessária, e é preciso que todos façam a sua parte em prol do bem coletivo. “O que mais impede e atrapalha o procedimento que a Prefeitura está fazendo é o povo desobediente. Se 100 pessoas usam máscara, duas que ficam sem usar vão prejudicar todo o trabalho feito. O trabalho está sendo correto, as medidas estou achando corretas”, avaliou.