Roberto Menescal, Marcos Valle e Patrícia Alví trazem a mais fina música brasileira pós-bossa nova

‘É bom que as pessoas saibam que existem vários tipos de música brasileira, para que elas saibam escolher também’, disse Menescal

A agente cultural Graça Avelar passou nada menos que quinze anos vivendo em Montreal, no Canadá. Lá, formou-se em Cinema. Há pouco tempo, retornou em caráter definitivo à sua cidade natal, Vitória da Conquista – a tempo de participar pela primeira vez, em 2014, do Natal da Cidade, e de ter, portanto, a oportunidade de desfrutar do espetáculo proporcionado por Marcos Valle, Roberto Menescal e Patrícia Alví na noite de sábado, 20, no Centro Glauber Rocha – um passeio por cinco décadas da mais fina música popular brasileira pós-bossa nova. “Adorei, fiquei encantada. Já não sou mais mocinha, estou acima dos cinquenta anos. Mas me diverti como criança”, exultou Graça.

Os artistas que estavam sobre o palco também já acumulam anos de carreira. Mas continuam, sim, em estado de graça. Roberto Menescal, um dos principais nomes da primeira geração da bossa nova, autor de “O barquinho”, em parceria com Ronaldo Bôscoli, explicou os motivos pelos quais apreciou a qualidade musical do Natal da Cidade: “É bom que as pessoas saibam que existem vários tipos de música brasileira, para que elas saibam escolher também”.

Afinal, é preciso conhecer para saber escolher. E por isso, segundo Marcos Valle, valeu a pena vir a Vitória da Conquista e tocar para o público do evento natalino promovido pela Prefeitura – cuja principal característica é a alta qualidade musical. “Como escolher, se você não ouve? Hoje em dia, é difícil conseguir trazer um certo tipo de música diferente para as rádios. Então, uma coisa como essa é fantástica”, disse o compositor.

‘Foi maravilhoso’ – Do alto de sua autoridade como integrante da segunda geração da bossa nova – e de ter-se tornado um dos principais músicos e compositores brasileiros desde então –, Marcos Valle deu seu veredicto sobre o fato de ter tocado, pela primeira vez, em Vitória da Conquista, ao lado de sua esposa, Patrícia, e de seu velho companheiro Menescal: “A gente leva a música brasileira para o resto do mundo. A gente toca trazendo a música brasileira. Mas a gente mostrar isso para uma geração nova, é fantástico. Então, isto aqui foi maravilhoso. Você viu que o público reagiu incrivelmente bem, e a gente também, com energia. Enfim, se tiver coisas assim, a gente consegue mostrar todos os tipos de música que o Brasil tem”.

Notícias Relacionadas

Cultura, Turismo, Esporte e Lazer
24/03
Vitória da Conquista recebe Festival Internacional de Artistas de Rua da Bahia
Cultura, Turismo, Esporte e Lazer
22/03
Curso para Árbitros certifica mais de 60 profissionais
Cultura, Turismo, Esporte e Lazer
22/03
Festival Internacional de Artistas de Rua chega nesta quinta, 23, em Conquista
Cultura, Turismo, Esporte e Lazer
18/03
I Sarau da Secult reúne artistas e agrada público