Estradas sendo recuperadas no distrito de São João da Vitória (também conhecido como Batuque)

São duas frentes em José Gonçalves, uma em São João da Vitória e outra em Bate-Pé

Em termos de recuperação de estradas rurais, a Prefeitura de Vitória da Conquista mantém, hoje, quatro frentes de trabalho em andamento. Segundo as estimativas da Secretaria Municipal de Agricultura, essas intervenções deverão recuperar mais de 260 quilômetros de estradas rurais pelo interior do município.

Duas equipes se concentram na região de José Gonçalves, uma abrange São João da Vitória e outra ocorre em Bate-Pé.

A primeira intervenção envolve aproximadamente 150 quilômetros de estradas, incluindo vias que ligam José Gonçalves à divisa com o município de Anagé (povoado de Lindo Horizonte), passando por localidades conquistenses como Roseira, Boa Sorte e Lagoa da Visão, entre outras.

A segunda frente, na mesma região, abrange trechos que envolvem comunidades como Periperi, Vereda, Vereda Grande, Tapirema, Baixa do Muquém e outras, totalizando 25 quilômetros.

Outras estradas estão sendo recuperadas na região de Vereda do Progresso, Poço Verde e Corta Lote, próximas do distrito de São João da Vitória. Ali, o total de estradas recuperadas deverá chegar a 30 quilômetros.

Já na região do distrito de Bate-Pé, o serviço está em andamento em vias que interligam localidades como Farinha Molhada, Lagoa de João Moraes e Cainana. A Secretaria Municipal de Agricultura pretende que sejam melhorados 60 quilômetros de estradas.

“A todo instante, nós estamos sendo cobrados pela comunidade. Os vereadores, sempre presentes, solicitando trabalhos na zona rural”, afirma o secretário municipal de Agricultura, José William Nunes. “Na medida do possível que nós estamos recuperando o maquinário, estamos atendendo essas solicitações”, acrescenta.

Chuvas na Limeira – Outra frente de trabalho, que estava em andamento desde março, consistia em terraplanagem e aplicação de cascalho em estradas da região da Limeira. A operação teve de ser interrompida por força das chuvas recentes – e, por isso, as máquinas foram transferidas para outros lugares.

Segundo o secretário, o trabalho será retomado assim que as chuvas diminuírem. “Trabalhávamos até as duas horas, três horas da tarde. Aí, chovia muito à noite e a gente perdia todo o serviço que tinha feito no dia anterior”, comenta Nunes. “Quero tranquilizar o povo da região da Limeira. Assim que o tempo permitir, nós vamos retornar e fazer todos os trabalhos que forem necessários”, garante.