Na tarde dessa quarta-feira (13), aconteceu a cerimônia de formatura de 1.320 alunos da rede municipal de ensino, participantes do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd).

O programa, de autoria da Polícia Militar (PM) e com apoio da Secretaria Municipal de Educação (Smed), tem como objetivo prevenir o uso e abuso de drogas e a violência. Ele é destinado a crianças e jovens em idade escolar. A iniciativa, considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um dos maiores programas de prevenção às drogas e a violência no mundo, possui abrangência internacional e atua em Vitória da Conquista desde o ano de 2004.

As escolas municipais da zona urbana e rural participantes do Proerd são: a Escola Municipal Isa Medeiros, Escola Municipal Padre Aguiar, Escola Municipal Pedro Francisco de Moraes, Escola Municipal Paulo Freire, Escola Municipal Antônio Helder Tomaz, Escola Municipal Paulo Setúbal e o Centro de Educação Eurípedes Peri Rosa.

A secretária municipal de Educação, Selma Oliveira, diz que o sucesso do projeto se deve à parceria entre a PM e o município. “O projeto vem fortalecer à prevenção às drogas e a violência, onde temos visto um resultado muito positivo”. Ela ainda comenta sobre o papel da polícia em ações voltadas à educação de jovens e adolescentes. “Hoje a sociedade se mostra extremamente necessitada de um auxílio nesse âmbito. Dessa forma, a polícia militar tem feito sua parte não de forma repressora, mas como um agente de transformação social”.

O Comandante Geral da Polícia Militar do Sudoeste da Bahia, Coronel Ivanildo da Silva, relata que, para o projeto, a polícia conta com importantes parceiros como a Prefeitura Municipal e o Ministério Público. “Muitos olham para nossa corporação como um agente repressor. No entanto, nosso verdadeiro papel é o de contribuir para a formação das crianças e dos jovens, para assim cultivar bons valores”. Sobre o Proerd, ele relata que sua aplicação compete às Polícias Militares, “como uma forma estratégica de prevenção em face aos problemas das drogas na sociedade”, relata o Coronel.