Prefeitura realiza trabalho de combate a escorpiões

sc2_4163

Caso os animais apareçam, a população precisa informar pelo telefone (77) 3429-7421

Atenta às ocorrências de aparecimento de escorpiões, a Equipe de Controle de Endemias – setor vinculado à Secretaria Municipal de Saúde – tem feito visitas para orientação e vistoria em imóveis situados em vários pontos da cidade.

Ao longo de 2016, o setor recebeu 88 ligações em que pessoas relatavam o aparecimento desses animais. Nesse período, os bairros com maior incidência de infestação foram o Brasil, com 40 imóveis visitados pela Equipe de Controle de Endemias, e o Ibirapuera, com 17.

Em 2015, foram contabilizadas 57 notificações do tipo. No entanto, não há registro de nenhuma morte causada por picada de escorpiões no município.

Apesar do aumento em relação ao ano anterior, a situação não é considerada grave pela Prefeitura. “Está sob controle, mas a gente tem que estar sempre alerta, porque as temperaturas altas fazem com que o escorpião procure abrigo na área urbana. E a gente percebe que, nos últimos anos, as temperaturas têm subido cada vez mais”, explica Ramona Cerqueira, diretora municipal de Vigilância em Saúde.

Segundo Ramona, o desmatamento nas áreas rurais também é um motivo para os escorpiões buscarem abrigo no perímetro urbano. Geralmente, eles se escondem debaixo de pedras, entulhos, montes de madeira ou de lenha. É nesses lugares que eles permanecem durante o dia. E, à noite, saem à procura de alimentação – o que inclui baratas, aranhas, grilos, etc.

Prevenção, sintomas e tratamento – O trabalho de prevenção aos escorpiões tem como base um fator: que a população não acumule objetos, madeira, pedras, etc., tanto em locais fechados quanto nas vias urbanas.

Os casos de picadas mais comuns são em homens, com idades de 25 a 49 anos. Em geral, os principais sintomas são dor muscular, diarreia, vômito, dor de cabeça (cefaleia) e dor no local da picada. A intensidade dos efeitos, entretanto, depende da quantidade de veneno injetada, da força muscular e da idade – por isso,  crianças e idosos necessitam de cuidados especiais. Em todos os casos, se constatada a picada por escorpião,  a pessoa deve ser encaminhada imediatamente ao hospital.

Em Vitória da Conquista, para o tratamento de envenenamentos causados por picada de escorpiões, há o soro antiescorpiônico e o antiaracnídico. As doses são repassadas pelo Núcleo Regional de Saúde ao Município, que, por sua vez, as encaminha ao Hospital Geral de Vitória da Conquista, que é referência nessa área.

População precisa informar – Nos casos de aparecimento de escorpiões – mesmo quando não há ocorrência de picadas – a população deve entrar em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do telefone (77) 3429-7421. Para fazer a vistoria, a equipe precisa da autorização dos proprietários ou responsáveis. “Não temos como ir aos locais sem ter essa permissão”, ressalta Ramona.

Caso sejam encontrados escorpiões, estes são capturados e encaminhados ao laboratório para que seja verificado qual o gênero e a espécie. Em seguida, o animal é encaminhado ao Núcleo Regional de Saúde. Todo esse procedimento segue as orientações preconizadas pelo Ministério de Saúde.

sc2_4145

Notícias Relacionadas

Gabinete Civil
21/08
Prefeitura procura quadros de ex-prefeitos para recuperar patrimônio histórico
Gabinete Civil
21/08
Nota de Pesar pelo falecimento de Matheus da Hora Oliveira
Gabinete Civil
21/08
Cursinho Pré-Vestibular Quilombola abre vagas para novos estudantes
Cultura, Turismo, Esporte e Lazer
21/08
Esporte e Consciência Ambiental são valorizados em evento de Capoeira