Vitória da Conquista conta com cerca de 200 garis

Comemorado anualmente em 16 de maio, o Dia do Gari homenageia os profissionais da limpeza do Brasil. A data reverencia os principais responsáveis pela manutenção das devidas condições sanitárias e de higiene nos espaços públicos urbanos.

O nome “Gari” surge em referência ao francês Aleixo Gary, proprietário da primeira empresa de coleta de lixo que, no ano de 1885, atendeu a cidade do Rio de Janeiro, então capital nacional. A partir dali o termo gari passou a ser utilizado pela população de todo o país para denominar o agente de limpeza.

Em Vitória da Conquista, cerca de 200 garis executam “o mais importante serviço prestado pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos (Sesep)”, como afirma o próprio secretário, José Marques. Ele ainda reconhece as dificuldades diárias dos garis de manter limpa uma cidade como Vitória da Conquista. “O protagonismo da secretaria de Serviços Públicos é o trabalho dos garis. É inclusive um dos mais importantes serviços entre os que são prestados por toda a Prefeitura. Por isso buscamos tratar esses servidores com o máximo de cuidado e com o merecido respeito. Parabenizamos a todos os garis por essa data e pelo excelente serviço prestado.”, completa o secretário.

Edmilson Silva, relata sentir orgulho pela profissão

Servidor da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista como gari há 16 anos, Edmilson Silva é conhecido entre os colegas como Amado Batista. Casado e pai de 3 filhos, relata o orgulho pela profissão. “Sempre trabalho cantando músicas de Amado Batista para expressar minha alegria e, por isso, os colegas me apelidaram. Sou muito grato ao meu ofício, pois foi através dele que pude sustentar e formar meus filhos”, relata.

Jorge dos Santos destaca a necessidade da conscientização da população no descarte adequado do lixo

Jorge dos Santos, que atua como gari da Prefeitura há 31 anos, destaca a necessidade da conscientização da população no descarte adequado do lixo. “Pelo fato de trabalharmos com o lixo, existe ainda um certo preconceito de algumas pessoas. Entretanto, o que incomoda mesmo é a falta de educação de alguns que, por acharem que existem garis, não cumprem o papel de acondicionar e alocar o lixo de suas próprias casas em local adequado. Faço um apelo para que as pessoas se informem e, se possível, nos consulte, estamos sempre dispostos a ajudar”, salienta Jorge.