Prefeitura esclarece sobre negociação salarial com o Simmp

A Prefeitura de Vitória da Conquista acredita que o melhor caminho para garantir direitos e materializar conquistas para os servidores municipais é manter uma mesa de diálogo permanente com todos os sindicatos municipais, legalmente reconhecidos. Nesses espaços de participação, busca-se discutir e priorizar as questões mais importantes para as diferentes categorias municipais.

Fortalecendo essa relação de respeito, é que a Prefeitura iniciou, no último dia 19, as discussões referentes à campanha salarial 2015. E por entender que os professores municipais contribuem para um mundo de conhecimentos aos aproximadamente 45 mil alunos da Rede Municipal de Ensino, a Administração assegurou o compromisso de continuar pagando o piso salarial dos professores, com o reajuste de 13,01%.

Além disso, o Governo garantiu também interstício de nível de 12,75%, aumento de interstício de referência para 4% e aumento no auxílio-alimentação para R$ 185,00. Em tempo, ressalta que todos os reajustes estão acima dos índices de inflação do período. No entanto, o Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista (Simmp) se recusou a continuar com as negociações e decidiu deflagrar greve a partir da próxima segunda, 25.

A Administração Municipal esclarece que os motivos apontados em documento oficial (Ofício nº 52) emitido pelo Sindicato para a deflagração da greve dos professores não se justificam. Principalmente, o ponto que trata da representação dos monitores escolares – a qual, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), cabe ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Vitória da Conquista (Sinserv).

Quanto ao Plano de Carreira e Remuneração dos Profissionais da Educação no Município de Vitória da Conquista (Lei nº 1.762), ele foi reformulado em 2011, aprovado pelo Sindicato e proporcionou uma série de benefícios pleiteados pela categoria. Destaque para o incentivo à formação, com gratificação de 20% sobre o vencimento para os profissionais que fizerem especialização; 30% para os que fizerem mestrado; e 40% para os que fizerem especialização e mestrado.

Há também outras gratificações: 10% de regência; 10% de regência especial; 16,67% de Atividade Complementar para séries iniciais; 20% para professores que moram na zona urbana e trabalham na zona rural; e 20% de titulação (cursos de qualificação).

“A Prefeitura continuará aberta ao diálogo com a categoria”, concluiu o secretário municipal de Educação, Valdemir Dias.

Notícias Relacionadas

Educação
26/05
Secretaria de Educação e Faculdade Maurício de Nassau articulam parcerias
Educação
23/05
Prefeitura reativa Central de Interpretação de Libras
Educação
22/05
Estudantes de escolas municipais são finalistas do Projeto Lápis na Mão
Educação
20/05
Governo Municipal participa do lançamento do projeto “Revelando Talentos”