Livro ‘Alma nua’ é lançado em Vitória da Conquista

A obra, escrita por Marcísio Bahia, foi publicada com o apoio da Prefeitura de Vitória da Conquista

“Quando nasce um livro, nasce também um escritor”, afirmou o prefeito Guilherme Menezes no Salão Nobre do Gabinete Civil, na última sexta-feira, 6, durante o lançamento oficial* do livro “Alma nua”, de Marcísio Bahia. De fato, embora já seja conhecido na região por sua atuação como jornalista**, somente agora, com a publicação da obra, é que Marcísio passa a permitir que prevaleça sua faceta de escritor.

Embora garanta já ter pelo menos três livros prontos, “Alma nua” é sua primeira obra a ser publicada. Trata-se, portanto, de uma estreia numa área que já lhe é familiar. Marcísio criou uma trama passada na primeira década do século 20, quando a abolição do regime escravista era ainda algo recente e não totalmente absorvido pela sociedade. A história acontece em três cidades diferentes: Rio de Janeiro, Salvador e Vitória da Conquista.

Autor do prefácio do livro, Esechias Araújo chega a comparar o estilo narrativo de Marcísio com alguns elementos das obras de Jorge Amado e Machado de Assis – absorvendo deste o “talho psicológico”, e daquele, o pendor para contar histórias “apimentadas e intrigantes”.

Para inserir a questão do racismo na narrativa, Marcísio disse ter buscado inspiração entre seus próprios antepassados. “Dentro da minha família teve uma história dessas, com meu bisavô. Eu me aproveitei do mote real para fazer o fictício. Mas a história do livro é fictícia e tem alguns valores a serem questionados. Por isso é que o nome é ‘Alma nua’”, contou.

No entanto, há muito mais do que antigas memórias familiares na trama do livro. Houve lugar, por exemplo, para que autor ousasse inserir ali seus próprios dramas particulares. “Eu já tive muitos desníveis, muitas subidas e descidas na minha vida. Vi a vida de vários pontos. Então, toda essa carga dramática passou para a ficção, através da minha forma de escrever”, explicou Marcísio, que, das tais “subidas e descidas”, garante ter guardado apenas a inspiração para a literatura – hábito que ele descreveu como “um vício altamente saudável”.

‘Obra eterna’ – A publicação de “Alma nua” foi possível graças ao apoio da Prefeitura de Vitória da Conquista. A justificativa foi dada pelo próprio prefeito Guilherme. “Um livro é uma obra eterna. Jamais deixará de ser atual”, afirmou o gestor. “É muito importante esse contato da Prefeitura com os produtores de cultura de Vitória da Conquista, como é o caso de Marcísio Bahia, que produz uma obra com a expectativa de uma existência tão bonita”.

*O lançamento teve a presença de vários integrantes do Governo Municipal, além de familiares e amigos do autor do livro.

**Além de professor, escritor e poeta, Marcísio Bahia tem larga atuação na imprensa da região. Trabalhou nas TV’s Cabrália, Sudoeste e Globo Minas, e nos jornais “Diário do Sudoeste” e “A Semana”.

Notícias Relacionadas

Gabinete Civil
20/10
Escola Maria Leal promove 1º Seminário da Família em Capinal
Gabinete Civil
20/10
Deserg recupera máquinas para dinamizar obras na cidade e no campo
Gabinete Civil
20/10
Outubro Rosa mobiliza servidoras da Secretaria de Serviços Públicos
Gabinete Civil
18/10
Prefeitura dá ultimato à Viação Vitória