Integração tarifária: entenda como fazer mais de um deslocamento e pagar apenas por uma tarifa

Implantado em Vitória da Conquista em março de 2014, o recurso é utilizado por pelo menos 125 mil pessoas por mês

Dentro de dois meses, terá se passado exatamente um ano desde que a população de Vitória da Conquista passou a ter a opção de tomar mais de um ônibus, pagando apenas por uma tarifa. A integração tarifária, uma das novidades trazidas pelo novo sistema de transporte coletivo do município, passou a permitir que o usuário fizesse mais de um deslocamento e pagasse apenas pelo primeiro – desde que o trajeto percorrido não disponha de uma linha direta de ônibus; que os dois ou mais veículos em que a pessoa entrasse seguissem por um único sentido, e que a baldeação ocorresse dentro de um período máximo de 90 minutos.

Tome-se, por exemplo, o caso do bairro Bruno Bacelar, que não possui linha de ônibus direto para a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Quem sair do bairro e tiver como destino a instituição, pode tomar um ônibus e descer no centro (ou em outros pontos de parada que estejam no mesmo sentido) e, em seguida, entrar em outro veículo que vá para a universidade. Se fizer a operação em menos de 90 minutos, o usuário pagará somente pela primeira tarifa. E, quando retornar para o ponto de onde saiu – no caso, o Bruno Bacelar –, poderá repetir o mesmo procedimento, só que em sentido contrário. Ou seja, ele pagará por duas passagens, ao invés de quatro.

Em média, 125 mil pessoas por mês realizam a integração tarifária em Vitória da Conquista. Isso equivale a aproximadamente 5% do número total de deslocamentos no sistema de transporte coletivo municipal, que chega à média mensal de 2,5 milhões. No entanto, por mais que o serviço esteja disponível e o número de pessoas se amplie, é sempre necessário que as pessoas se mantenham sempre informadas sobre os detalhes de funcionamento desse recurso.

Vamos, então, a duas dúvidas que costumam ser manifestadas pelos usuários do transporte coletivo.

1 – Como e onde posso obter maiores informações sobre o funcionamento da integração tarifária?

O cidadão pode fazer isso de forma presencial ou por telefone, e há dois locais disponíveis: a central de fiscalização da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, localizada no Terminal de Ônibus da Avenida Lauro de Freitas (3424-2862), e a sede da Associação dos Operadores do Transporte Coletivo Urbano (ATUV), situada na Travessa 2 de Julho, 10, Centro.

2 – Não consegui fazer a integração tarifária. Onde posso esclarecer os motivos e, se for o caso, fazer uma denúncia?

Quando tal situação ocorrer, o usuário deverá entrar em contato com o setor de fiscalização da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (3424-2862), pessoalmente ou por meio do telefone. Ele deve informar quais foram as linhas de ônibus nas quais houve a tentativa frustrada de integração, a data em que isso aconteceu e, finalmente, o número de seu cartão eletrônico. De posse dessas informações, a Secretaria solicitará à ATUV um relatório com os dados referentes ao uso do cartão. A análise desse relatório será feita pela Secretaria, que, por fim, dará uma resposta ao usuário.

Notícias Relacionadas

Mobilidade Urbana
17/03
Prefeitura participa de sessão sobre transporte coletivo na Câmara
Mobilidade Urbana
17/03
Prefeitura mantém fiscalização no trânsito das avenidas Juracy e Bartolomeu
Mobilidade Urbana
15/03
Estacionamento do Lomantão será usado para provas práticas da 4ª Ciretran
Mobilidade Urbana
15/03
Conselho Municipal de Transportes realiza primeira reunião do ano