Governo Municipal verifica perdas de agricultores inscritos no Garantia Safra

 

SC2_0100

Alcance das perdas por conta da falta de chuva será informado ao Governo Estadual para a elaboração dos laudos

No final de dezembro de 2015, o agricultor Erotides Freitas e seus familiares cumpriram mais uma vez a tradição local. Na pequena propriedade da família, com área de três tarefas, no povoado de Xavier (a 20 quilômetros de Vitória da Conquista, na região de José Gonçalves), eles plantaram 40 quilos de feijão e 60 de milho, e ainda quantidades menores de batata e mandioca.

No entanto, de lá para cá, houve uma série de contratempos de ordem climática. A lavoura recebeu apenas as chuvas que caíram na região em janeiro, ficando a maior parte do tempo exposta ao inclemente sol da caatinga. O resultado é que os Freitas esperam colher uma quantidade pequena de mantimentos, se comparada ao volume que plantaram.

De acordo com Marcos Rui Freitas, filho de Erotides, em condições normais, com maior incidência de chuvas, ele colheria por volta de 15 sacas de milho e dez de feijão. Na atual situação, no entanto, acredita que a lavoura de milho renderá apenas duas sacas. A de feijão, segundo ele, não passará de trinta quilos – menos que uma saca. A mandioca nem chegou a nascer.

Entretanto, como é inscrito no programa Garantia Safra, o agricultor poderá receber compensações financeiras por essas perdas. E não apenas ele. Apenas na região de Vitória da Conquista, isso poderá ocorrer com os pouco mais de 1.300 lavradores que pagaram os boletos do programa. “É bom, ajuda demais. Assim, a gente não toma o prejuízo total”, afirma Marcos Rui.

‘Compensação’ – O alcance dessas perdas está sendo aferido por técnicos da Prefeitura em 50 propriedades nas regiões de José Gonçalves, Iguá, Cercadinho e Inhobim. O resultado dessa coleta de informações fará parte de uma amostragem, para que o Governo Estadual possa elaborar os laudos que mostrarão o resultado geral das lavouras baianas. O mesmo trabalho está em execução no restante do Estado. Trata-se de uma etapa fundamental para que os agricultores sejam de fato compensados por conta dos prejuízos causados pela falta de chuva.

A equipe técnica municipal vistoriou a propriedade dos Freitas na manhã desta terça-feira, 12. Além de fotografar a lavoura comprometida, tomou também as coordenadas do terreno, com o auxílio de um aplicativo de celular, e reuniu as informações num formulário. Assim que a operação estiver concluída, todos os formulários serão enviados pela Secretaria Municipal de Agricultura ao Governo Estadual.

“Foi verificada a perda da lavoura. Então, isso é colocado na planilha e, depois, encaminhado a Salvador. Todas as regiões realizam essa vistoria. Constatando que a maioria teve perda, todos os inscritos no Garantia Safra receberão”, explica o engenheiro agrônomo Sálvio Gusmão, integrante da equipe da Secretaria Municipal de Agricultura.

Notícias Relacionadas

Desenvolvimento Social
18/11
Prefeitura promove 16 Dias de Ativismo pelo fim da violência contra mulher
Educação
18/11
Pacto pela Educação: Professores e coordenadores municipais relatam experiências
Notícias
18/11
Hospital Esaú Matos propõe roda de conversa sobre prematuridade
Mobilidade Urbana
17/11
Prefeitura amplia horário do transporte coletivo neste domingo, 19