Governo Municipal e Consulta Popular se reúnem na Casa 2 de Julho

SC2_0726

Organização propôs atividades conjuntas em prol da cidade

Há cerca de um ano, o número 937 da Avenida São Geraldo, no bairro Alto Maron, abriga a Casa 2 de Julho. Trata-se de um espaço de formação sócio-político-cultural, onde estão reunidas as representações locais de organizações de esquerda como a Consulta Popular, o Levante Popular, a Marcha Mundial de Mulheres e o Movimento de Trabalhadores e Trabalhadoras por Direitos (MTD).

Além de desenvolver uma série de atividades políticas e culturais com trabalhadores, jovens, mulheres, etc., o local também abriga a sede da editora Expressão Popular. A gestão do espaço é feita de forma coletiva pelos militantes das organizações envolvidas.

Foi ali que o prefeito Guilherme Menezes, acompanhado por integrantes do Governo Municipal e pelo vereador Florisvaldo Bitencourt, se reuniu com o representante local da Consulta Popular, Alexandre Xandó, na manhã desta terça-feira, 19. “A gente apresentou a nossa organização e o nosso projeto para a cidade, e também um pouco da nossa avaliação nacional”, informou Xandó.

Além disso, a reunião também foi para propor ações em parceria com o Poder Público Municipal. “É um espaço de debate, essencialmente neste momento que a gente vive. A gente pretende consolidar parcerias de projetos com a Prefeitura, para que a gente possa construir uma cidade melhor”, relatou o militante.

“É interessante encontrar uma juventude tão animada, com suas melhores energias e inteligências devotadas por um Brasil sempre melhor, e por uma Vitória da Conquista mais progressista e muito mais digna das nossas melhores expectativas”, declarou o prefeito Guilherme, após o encontro.

SC2_0732

Notícias Relacionadas

Educação
29/03
Secretário de Educação visita escolas da Zona Rural
Mobilidade Urbana
29/03
Prefeitura realiza vistoria anual dos táxis em abril
Desenvolvimento Social
29/03
Governo Municipal discute parceria com o SENAI
Notícias
29/03
Mudanças no manejo dos resíduos garantem mais tempo de vida útil ao aterro sanitário