O formato dinâmico será referência para o projeto a ser desenvolvido na Atenção Básica

Aos 26 anos, Maele Batista está grávida, de 35 semanas, do primeiro filho, Isaque. E, como “mãe de primeira viagem”, as dúvidas são muitas. Por isso, para entender melhor essa nova fase, ela participou, no último dia 7, de uma roda de conversa promovida pelo Hospital Esaú Matos com as gestantes acompanhadas pela Unidade de Saúde da Família Professor Nelson Barros.

“Foi um momento bastante produtivo. A gente tirou as dúvidas, vimos que o que sentimos é normal, é comum. Foi ótimo! Gostaria de participar dos outros encontros, só não sei se vou poder porque Isaque já está perto de nascer”, contou Maele que vai compartilhar com o marido e demais familiares as novas informações recebidas.

O encontro marcou o início do projeto “Vem Neném” na Atenção Básica. “Esse trabalho é uma extensão do que já desenvolvemos, uma vez por mês, no hospital, com os casais. Aqui, teremos um período maior para trabalhar os temas”, explicou a coordenadora de Humanização do Esaú, Christianne Schettine.

Ainda, segundo Christianne, a ideia é que, a partir desses encontros no Nelson Barros sejam feitos os ajustes e adequações necessárias para que a equipe leve o trabalho às demais unidades de saúde. “Desenvolveremos a metodologia aqui para levar para as outras unidades. Por isso, é importante que as gestantes do Nelson Barros participem”, destacou.

Neste primeiro momento e num formato dinâmico de perguntas e respostas, foram abordadas as questões psicológicas que envolvem a gestação e o puerpério (o momento posterior ao parto). Uma das psicólogas do hospital, Sabrina Aguiar, também participou da atividade.

Para a médica da equipe do Cidade Modelo, Caroline Viana, esse trabalho fará a diferença para as gestantes. “Eu já conhecia e sabia que o Vem Neném era uma excelente oportunidade de orientação para as gestantes. Por isso, foi uma grande honra receber essa contribuição dos profissionais do Esaú e será de grande importância expandir esse projeto para a Atenção Básica”, avaliou.