Na tarde deste sábado (20), foi realizada mais uma reunião do Comitê de Representação Civil e Institucional para serem discutidos os dados epidemiológicos da semana e as próximas fases da retomada gradual das atividades econômicas de Vitória da Conquista.

O coordenador do Comitê de Gestão de Crise, o secretário de Administração, Kairan Rocha, abriu a reunião esclarecendo sobre a preocupante notícia que chegou à Prefeitura no fim desta semana. Apesar de ter sido anunciada a contratação de 20 leitos de UTI do Hospital das Clínicas de Vitória da Conquista pelo Governo do Estado, após solicitação de esclarecimentos, a Secretaria Municipal de Saúde recebeu do diretor Clínico do Hospital, Vinícius de Brito Rodrigues, ofício informando que o HCC conta com 20 leitos de UTI, mas na verdade apenas 12 deles possuem respiradores, e mesmo assim, dois respiradores seriam de backup, ou seja, são aparelhos de reserva, que seriam utilizados no caso de algum dos outros sofrerem problemas de qualquer natureza. Sendo assim, o HCC teria apenas dez leitos de UTI em condições de receber pacientes em estado crítico da doença.

Com essa notícia, Conquista teria 40 e não 50 leitos de UTI como foi publicizado. Tanto o prefeito Herzem Gusmão, quanto a secretária de Saúde, Ramona Cerqueira, já tentaram contato com o secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, mas até o momento, não receberam resposta.

Diante dos números revelados sobre a quantidade real de leitos do HCC, a taxa de ocupação de UTIs alcançaria 68,33% e, conforme estabelece o Protocolo de Reabertura Gradual do Comércio, esse número deixa o município em estado de alerta. Enquanto aguarda a resposta oficial da Secretaria de Saúde do Estado, o Comitê Gestor de Crise entende ser necessário agir com a máxima responsabilidade e prudência neste momento e, por esse motivo, a decisão é por não avançar para a próxima fase.

O gráfico demonstra a situação da taxa de ocupação de leitos considerando 2 cenários: Cenário 1 – 50 leitos de UTI; Cenário 2 – 40 leitos de UTI

Estiveram presentes na reunião os representantes do Comitê Gestor de Crise da Prefeitura, da OAB, Defensoria Pública, Ministério Público, da Associação de Bares e Restaurantes de Conquista (Abracon), das academias de ginástica, Conselho Consultivo, SindHSudoeste, CDL, Conselho de Segurança, Movimento Pró-Conquista, Sinjorba e das bancadas de oposição e situação da Câmara de Vereadores. Pela terceira reunião consecutiva, não houve representação do Conselho Municipal de Saúde. O coordenador do Comitê, Kairan Rocha, enfatizou a importância da participação do Conselho neste momento delicado e informou que vai reforçar o convite para a próxima reunião.

Representando o Sindicato dos Hospitais do Sudoeste (SindHSudoeste), Ana Paula Prates explicou que o sindicato está em contato com o HCC que os informou que novos respiradores serão enviados pelo Governo do Estado a partir da próxima segunda-feira. A secretária de Saúde, Ramona Cerqueira, enfatizou que a Prefeitura de Vitória da Conquista quer unir forças com todas as entidades para a resolução dessa situação com a maior agilidade possível, pois o objetivo maior neste momento é salvar vidas.

Os representantes da Abracon e das academias de ginásticas, Raimundo Mimoso e Fábio Grisi, demonstraram surpresa com a notícia e ambos informaram ao Comitê que as empresas que representam já estão se preparando com a adoção de medidas rigorosas de segurança para estarem prontas para a reabertura assim que for autorizado. Grisi enfatizou que os empresários do ramo de academias são alguns dos que têm mais sentido o impacto econômico da pandemia, mas é compreensível a gravidade da situação frente à atual realidade da disponibilidade de leitos.