Cuidadores garantem inclusão de alunos com deficiência na Rede Municipal de Ensino

Ter amor pelo que faz é o que garante sucesso ao trabalho do cuidador

Ter amor pelo que faz é o que garante sucesso ao trabalho do cuidador

O percurso trilhado em prol das pessoas com deficiência acarretou transformações positivas de ordem legal e social, possibilitando as condições necessárias à qualidade de vida desses sujeitos. Neste sentido, o Governo Municipal, por meio da Secretaria de Educação, vem fortalecendo ações que se referem ao processo de inclusão de alunos com deficiência na Rede Municipal de Ensino de Vitória da Conquista.

Exemplo disso é a presença do monitor/cuidador no espaço escolar visando garantir a permanência, o acesso ao conhecimento escolar, a interação com o ambiente e as estratégias adequadas a cada tipo de comprometimento, promovendo o auxílio necessário à locomoção, comunicação, conforto e segurança dos alunos.

Os cuidadores são responsáveis por esse trabalho com alunos que possuem graves comprometimentos motores e/ou comorbidades, que necessitam de auxílio e cuidados na alimentação, locomoção, higienização e uso do banheiro, bem como os que utilizam aparelhos, equipamentos, sondas e outros dispositivos prescritos por profissional da medicina.

A história da menina Márcia – A aluna de 14 anos, da Escola Municipal Guimarães Passos, Márcia Fernandes, tem deficiência múltipla e foi uma das primeiras crianças com deficiência a ingressar na Rede Municipal de Ensino de Conquista. Em 2007, quando saiu da creche e precisou escolher uma escola, sua mãe, Ednólia Fernandes foi surpreendida pelo fato de várias escolas particulares negarem a vaga à menina com a justificativa de não terem cuidadores.

“Nunca quis colocá-la na escola, mas a médica recomendou. Aí as escolas particulares não queriam aceitar a minha filha. Acabei entendendo que ela precisava de um lugar que a aceitasse com boa vontade e amor. Procurei a rede pública e imediatamente consegui a vaga. Mas precisava de alguém para cuidar de forma específica”, ressaltou Ednólia.

Diante da situação, Ednólia procurou o Governo Municipal e apresentou a demanda. Desde então, a menina Márcia tem uma cuidadora durante todo o período em que está presente na escola. “O desenvolvimento dela foi me surpreendendo. Márcia recebeu dos médicos ainda recém-nascida o prognóstico de que viveria três anos. Hoje, ela tem avançado cada vez mais. E o papel da escola é fundamental. Aqui minha filha teve um avanço de 90% do desenvolvimento cognitivo, aprendeu e tem a oportunidade de interagir com outras crianças”, salientou a mãe da menina.

Para a cuidadora de Márcia, Sebastiana Barbosa, considerada por dona Ednólia como um anjo em suas vidas, o segredo do desenvolvimento dessas crianças é só um: “Você tem que amar o que faz e tratar a criança igual a todas as outras, dentro das limitações de cada uma. É um trabalho maravilhoso que permite ver a evolução a cada dia. Não me imagino em outra profissão”.

Foi na rede municipal de ensino que dona Ednólia encontrou

Foi na rede municipal de ensino que dona Ednólia encontrou acolhimento para sua filha

Notícias Relacionadas

Desenvolvimento Social
18/11
Prefeitura promove 16 Dias de Ativismo pelo fim da violência contra mulher
Educação
18/11
Pacto pela Educação: Professores e coordenadores municipais relatam experiências
Notícias
18/11
Hospital Esaú Matos propõe roda de conversa sobre prematuridade
Mobilidade Urbana
17/11
Prefeitura amplia horário do transporte coletivo neste domingo, 19