A plenária final do 10º Congresso do Orçamento Participativo, realizada neste sábado, 8, no auditório do Centro Municipal de Atendimento Especializado (Cemae), foi também o momento em que ocorreu a eleição e a posse da nova composição do Conselho do Orçamento Participativo (OP). O novo Conselho terá um mandato de dois anos, devendo reunir-se a cada dois meses.

Cada uma das delegações que participaram do Congresso elegeu um titular e um suplente para compor o Conselho. Entre titulares e suplentes, o grupo é composto por 122 pessoas, já que foram realizadas 61 plenárias nos bairros urbanos e nas localidades rurais.

“O processo de formação do Conselho do OP é muito democrático”, assegura o coordenador do Orçamento Participativo, João Alberto. Ele garante que a autonomia da entidade é assegurada em todos os momentos. “O Governo não intervém, e a eleição é feita entre eles”, explica.

O novo Conselho do OP deverá se reunir no dia 26 de julho para eleger a sua executiva, que atuará como um agente intermediário entre o Governo e a comunidade. Estão entre suas atribuições o acompanhamento da execução das obras e as discussões sobre a forma de se aplicar o orçamento.

Para o delegado da comunidade do Capinal e reeleito como Conselheiro do Orçamento Participativo, Mariano Laurêncio de Almeida, é uma satisfação fazer parte do conselho. “Nós, moradores das localidades, vamos levar para a Administração aquilo que é prioridade e necessidade de cada localidade. Nós ficamos satisfeitos por participarmos dessa indicação. Na maioria das vezes nossas indicações são executadas e nós ficamos satisfeitos pela conclusão das demandas pelo Governo Municipal. Nós ajudamos a Administração Municipal a construir uma cidade cada vez melhor”, afirmou.

 

Print this pageShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on LinkedIn