Confraternização foi marcada por muita alegria, interação, músicas e comidas típicas

Esta foi a primeira edição do “Forró Baby”; alguns bebês da UTI foram vestidos a caráter

Elementos das tradicionais festas juninas pelo corredor do hospital, como bandeirolas, já anunciavam que a tarde desta segunda-feira (18), na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Esaú Matos seria diferente. Foi a primeira edição do “Forró Baby”, que levou o clima junino para a UTI, com música e comidas típicas da época, integrando pais e equipe.

“Achei uma novidade ter eventos como este num hospital”, contou Edirlei da Silva, natural de Caculé e mãe de Paulo Gabriel que nasceu de 30 semanas, pesando 800 gramas. Há dois meses, a “mamãe canguru” está com o filho na UTI para que ele ganhe peso e possa ir pra casa. “Só de sair do quarto já anima. Não vou poder participar do São João de outras cidades, mas graças ao hospital estou participando de um”, comemorou.

Clairdelune e Gilvani aprovaram a iniciativa

Em mais uma visita ao primeiro neto, os avós de Daniel, nascido de 35 semanas e que no próximo dia 24 completa um mês de vida, também aprovaram o momento de confraternização. “Achei muito interessante a iniciativa do hospital porque sai da mesmice, da rotina dentro do quarto, as mães estão vendo e interagindo com outras pessoas. Foi muito bom”, afirmou dona Gilvani Fróes.

Nora de Gilvani e mãe de Daniel, Clairdelune Guimarães concordou. “Honestamente, o Esaú me surpreendeu tanto em questão de estrutura quanto de profissionais. E eu achei sensacional esse tipo de ação porque tem muitas mães que ficam aqui o dia inteiro e isso distrai um pouco. Além do que é bom também para confraternizar”, avaliou.

Com sainha colorida e chapéu de palha na cabeça, Eloá também fez parte da festança

De acordo com o diretor geral da Fundação Pública de Saúde, que administra o hospital, Felipe Bittencourt, esta foi a intenção do Forró Baby. “Fizemos essa festa para reunir a equipe da UTI, que trabalha incessantemente, os pais, que estão no cuidado diário com seus filhos, e as crianças aqui internadas. Isso vai ajudar muito na reenergização dos pais e nos reflexos da saúde dos bebês”, contou.

Alguns bebês internados na UTI, inclusive, foram vestidos a caráter. Sainhas coloridas e chapeuzinho na tiara deram toda fofura aos pequeninos. “A festa junina é nossa, do nordeste. E a maioria dos pais quer seu filho vestido para o São João. Será o primeiro São João dessas crianças e, para nós, é a maior satisfação poder proporcionar isso”, reforçou Felipe.

O cuidado nos mínimos detalhes deixou os bebês ainda mais fofos; Hadassa ficou linda

A iniciativa faz parte do projeto realizado pela Fundação de Saúde, o “Práticas Integrativas: A arte no ambiente hospitalar”.