Na manhã desta quinta-feira (17), os usuários e técnicos de Saúde Mental do CAPS AD III realizam uma oficina para lembrar a Luta Antimanicomial, celebrada no dia 18 de Maio. O “Sarau Poético: Pensou, falou, sarou” abriu espaço para a criação de poesias, acrósticos e um mural para expressão do pensamento de forma livre.

Segundo o gerente do serviço, Edgard Felipe Carvalho de Oliveira, a proposta de realização da oficina veio como recurso de valorização do potencial criativo, “aproveitando a arte e a cultura como instrumentos para possibilitar novas vidas desejantes, novos sentidos e inclusividade social”.

A Psicóloga Suzi Keila Fiuza Andrade, uma das coordenadoras do evento, ressaltou a importância de ações como o Sarau no estímulo ao empoderamento contínuo do usuário. Ela ainda considerou: “Diariamente temos que ampliar a nossa maneira de ser antimanicomial, devemos e podemos fazer experimentações no sentido de produzir corpos desejantes e criar possibilidades de novas narrativas de vida numa perspectiva de cuidado territorial”.

A celebração do Dia da Luta Antimanicomial aconteceu durante toda a semana, com atividades de militância dentro do serviço: exibição de filmes, rodas de conversa e falas de resistência. A culminância do evento será na sexta-feira (18), na Praça 9 de Novembro. O gerente do CAPS AD III, Edgard Filipe Carvalho de Oliveira, disse ainda que “toda atividade em saúde mental não deve ser apenas um fluxo burocrático, mas promover novas formas de compor a vida. A visão do CAPS AD III está pautada em ações inclusivas visando sempre potencialidades”.